menu

Bebê de sete meses morre vítima de coronavírus em Pernambuco

Nas últimas 24h, foram 17 novos óbitos confirmados

Bebê de sete meses foi uma das mortes por coronavírus confirmadas nas últimas 24h
Bebê de sete meses foi uma das mortes por coronavírus confirmadas nas últimas 24h (Pixabay)

Um bebê de sete meses morreu vítima do novo coronavírus em Pernambuco. O caso da criança consta no boletim epidemiológico desta segunda-feira (13), que contabiliza as confirmações de diagnóstico das últimas 24h. Outras 16 pessoas tiveram a morte pela covid-19 confirmada do domingo para a segunda.

De acordo com a SES, o bebê era do Recife, tinha síndrome de Down, hipertensão pulmonar e cardiopatia congênita. Ele apresentou sintomas como febre, tosse e cansaço no dia 4 de abril. No dia 5 foi levado para o IMIP. Foi transferido e internado na UTI do Hospital Correia Picanço no dia 8 e no dia seguinte precisou de ventilação assistida. Faleceu no domingo (12) após um choque séptico. No tratamento foram utilizados antibióticos como azitromicina. Também foi feito o uso da hidroxicloroquina

Novas mortes

Contando com o bebê, foram 17 novas mortes nas últimas 24h, sendo sete pessoas do sexo feminino e 10 do sexo masculino. Os óbitos ocorreram entre os dias 4 e 12 de abril. Pernambuco contabiliza agora 102 mortes pelo coronavírus. Já com relação às confirmações, são 1.154, um mês depois do primeiro caso da doença no estado. Com os números desta segunda, Pernambuco tem um novo recorde diário de casos e mortes.

Veja o perfil dos novos óbitos:

1 - Mulher, 76 anos, residente de São José da Coroa Grande. Óbito em 09/04. Tinha hipertensão e diabetes.
2 - Homem, 69 anos, residente de Paudalho. Óbito em 10/04. Tinha diabetes e insuficiência periférica.
3 - Homem, 7 meses, residente do Recife. Óbito em 12/04. Tinha síndrome de Down, cardiopatia congênita e hipertensão pulmonar.
4 - Homem, de 56 anos, residente do Recife. Óbito em 10/04. Tinha hipertensão e diabetes.
5 - Mulher, 85 anos, residente do Recife. Óbito em 11/04. Tinha hipertensão, diabetes e cardiopatia.
6 - Homem, 41 anos, residente de Olinda. Óbito em 12/04. Tinha leucemia.
7 - Homem, 38 anos, residente do Recife. Óbito em 12/04. Era obeso.
8 - Mulher, 59 anos, residente de Paulista. Óbito em 11/04. Tinha diabetes, doença cardiovascular crônica, doença neurológica crônica.
9 - Homem, 86 anos, residente de Jaboatão dos Guararapes. Óbito em 11/04. Tinha asma e doença neurológica crônica (Alzheimer).
10 - Homem, 63 anos, residente de Lagoa dos Gatos. Óbito em 11/04. Tinha diabetes e era tabagista.
11 - Homem, 38 anos, residente do Recife. Óbito em 04/04. Era obeso.
12 - Homem, 73 anos, residente de Pombos. Óbito em 10/04. Tinha doença cardiovascular crônica, insuficiência renal, hipertensão, epilepsia controlada e era ex-tabagista.
13 - Homem, 49 anos, residente de Paulista. Óbito em 11/04. Tinha hipertensão e obesidade.
14 - Mulher, 68 anos, residente do Recife. Óbito em 09/04. Tinha diabetes e doença renal crônica.
15 - Mulher, 92 anos, residente do Recife. Óbito em 10/04. Tinha hipertensão.
16 - Mulher, 80 anos, residente do Recife. Tinha 09/04. Tinha hipertensão.
17 - Mulher, 70 anos, residente do Recife. Óbito em 12/04. Tinha diabetes e hipertensão.

Sintomas e prevenção

A Covid-19 é similar a uma gripe e é transmitido pela saliva, espirro, tosse ou aperto de mãos. Os sintomas do coronavírus são febre, tosse e falta de ar. Caso apresente os sintomas, a orientação é ligar 136 ou procurar uma unidade de saúde na sua cidade.

Prevenção

A melhor forma de prevenir o novo coronavírus e outras doenças respiratórias é tomando algumas atitudes como: lavar bem as mãos frequentemente com água e sabão; utilizar álcool em gel 70% para higienizar as mãos caso não possa lavá-las; cobrir o nariz e a boca com um lenço descartável ao espirrar e tossir; usar o ombro ou braço para cobrir o espirro e a tosse; evitar tocar os olhos, nariz e boca quando as mãos não estiverem limpas; não compartilhar alimentos e objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos e garrafas; higienizar aparelhos celulares, tablets e controles remotos; manter ambientes bem ventilados, com portas e janelas abertas. Caso já esteja doente, evite locais fechados com muitas pessoas e o contato com idosos, gestantes e doentes crônicos.

Confira a forma correta de lavar as mãos, indicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa):

1. Abra a torneira e molhe as mãos, evitando encostar na pia;
2. Aplique na palma da mão a quantidade suficiente de sabonete líquido para cobrir todas as superfícies das mãos;
3. Ensaboe as palmas das mãos, friccionando-as entre si;
4. Esfregue a palma da mão direita contra o dorso da mão esquerda (e vice-versa), entrelaçando os dedos;
5. Entrelace os dedos e friccione os espaços interdigitais;
6. Esfregue o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta (e vice-versa), segurando os dedos, com o movimento de vai-e-vem;
7. Esfregue o polegar direito, com o auxílio da palma da mão esquerda (e vice-versa), utilizando movimento circular;
8. Friccione as polpas digitais e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada em concha (e vice-versa), fazendo movimento circular;
9. Esfregue o punho esquerdo, com o auxílio da palma da mão direita (e vice-versa), utilizando movimento circular;
10. Enxágue as mãos, retirando os resíduos de sabonete. Evite contato direto das mãos ensaboadas com a torneira;
11. Seque as mãos com papel toalha descartável, iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos.
*Para a técnica de higienização anti-séptica das mãos, seguir os mesmos passos e substituir o sabonete líquido comum por um associado a anti-séptico