menu

Pernambuco estuda lockdown após queda no isolamento e aumento de casos

Estado pediu apoio das Forças Armadas para medidas restritivas

Governador Paulo Câmara anunciou medidas para conter avanço do coronavírus em Pernambuco
Governador Paulo Câmara pediu apoio das Forças Armadas para medidas restritivas ( Yacy Ribeiro/ JC Imagem)

Com o descumprimento do isolamento social recomendado para evitar a disseminação do novo coronavírus (covid-19), Pernambuco estuda tomar medidas mais restritivas da circulação de pessoas, como um lockdown (bloqueio total nas cidades). O governo já pediu o apoio das Forças Armadas, através do Comando Militar do Nordeste, e mantém contato com a Assembleia Legislativa (Alepe) e o Ministério da Saúde.

Pernambuco soma 9.325 casos confirmados da covid-19

Nesta segunda-feira (4), o governador do estado, Paulo Câmara (PSB), se reuniu com representantes dos poderes Judiciário, Legislativo, Ministério Público e Tribunal de Contas para discutir o atual momento do enfrentamento à pandemia. "Pontuamos as ações realizadas, as ações planejadas e ouvimos as ações que precisarão ser cada vez mais coordenadas diante da situação crítica que passa o nosso estado. Já agendamos ao longo dessa semana novas reuniões com os poderes para o anúncio de novas medidas", destacou.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, André Longo, o governo desenha e estuda o processo "para garantir que ele seja exitoso". "Obviamente é muito difícil pensar no lockdown ou na chamada quarentena absoluta sem o apoio do governo federal e das Forças Armadas. Temos avaliado essa situação diuturnamente com o governador, secretários e técnicos para que possamos tomar melhores decisões para Pernambuco", disse.

Sobre a solicitação, em nota, o Comando Militar do Nordeste (CMNE) informou que ações com o emprego da tropa devem ser submetidas ao Ministério da Defesa. O CMNE informou que o Comando Conjunto Nordeste foi criado para colaborar no enfrentamento à covid-19 em Pernambuco e outros estados da área de atuação.

Entre as ações realizadas estão apoio logístico, capacitação dos militares, ações de desinfecção em estações de metrô, doação de sangue, distribuição de cestas básicas, entre outros. 

Interior de Pernambuco deve receber 500 leitos para tratamento do coronavírus

Casos sobem, isolamento diminui

O estado de Pernambuco soma 9.325 casos confirmados do novo coronavírus (covid-19), de acordo com os números da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) desta terça-feira (5). Nas últimas 24 horas, foram 462 novas confirmações da doença. Destes, 271 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 191 são casos leves.

Do total de confirmados, 5.741 são graves e 3.584 leves. Da segunda para a terça, foram confirmados laboratorialmente 58 mortes. O estado soma agora 749 óbitos pela covid-19. A taxa de ocupação de leitos, de acordo com balanço da segunda-feira (4) da Central Estadual de Regulação Hospitalar, está em 93%. Os leitos de UTI estão 98% ocupados e os de enfermaria, 89% ocupados.

Paciente com coronavírus recebe alta da UTI da Unimed Caruaru após 25 dias internado

Mesmo com o aumento de casos, a média do isolamento em Pernambuco é de 50%, quando o recomendado pelas autoridades sanitárias é de 70%. Uma parcela significativa de pessoas está nas ruas para o recebimento do auxílio emergencial de R$ 600 do Governo Federal. A espera por atendimento tem gerado grandes filas e aglomerações em várias cidades do Estado. Algumas medidas estão sendo tomadas pela Caixa e sugeridas pelo governo para tentar amenizar a situação.