menu

Covid-19: Secretário da Fazenda diz que pode ocorrer atraso no pagamento de servidores de PE

Décio Padilha foi entrevistado pela Rádio Jornal nesta quinta

Secretário da Fazenda de Pernambuco, Décio Padilha
Décio Padilha foi entrevistado pela Rádio Jornal nesta quinta (Nando Chiapetta/Alepe)

O secretário da Fazenda de Pernambuco, Décio Padilha, foi entrevistado pela Rádio Jornal na manhã desta quinta-feira (4) e disse que há chances de ocorrer atraso no pagamento de servidores e fornecedores de Pernambuco por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

De acordo com o secretário, uma queda na arrecadação do ICMS desde março somou aproximadamente R$ 1 bilhão perdidos.

“Perdemos, em três meses, mais de R$ 1 bilhão, e a arrecadação de junho vai ser muito ruim. Então, há, sim, um risco de aumentar o atraso e de voltar os atrasos que tinham antes. Porque a ajuda federal é bem insuficiente, e não estou reclamando do tamanho dela, mas há uma possibilidade de voltar os atrasos, sim, mesmo com a ajuda federal. A suspensão do pagamento de dívidas seria um fôlego para o os governadores, mas ele [Jair Bolsonaro] vetou, por insistência de Paulo Guedes. Então, em virtude desse veto, como [Pernambuco] voltou a pagar dívida, há um risco muito grande dos atrasos ficarem bastante significativos”, explicou ele.

O secretário disse ainda que o auxílio federal começará a ser dado no próximo dia 9 de junho não será suficiente para cobrir a falta de arrecadação desde março no estado:

"Não se sai de uma crise dessa sem um grande ajuste fiscal. A gente vai ter que se endividar e com a pandemia achatando a curva, vem um grande programa de controle fiscal, segurando o grupo 1, que é a despesa de pessoal, segurando operação de crédito para ninguém se endividar, obrigando a reduzir custeio, obrigando a aperfeiçoar a máquina, isso faz parte. Mas, dentro da pandemia, não dá. Esse veto foi mais uma vez uma sinalização de arrocho fiscal em um ambiente em que a gente precisa fazer expansão de gastos."

Ouça a entrevista: