menu

Há possibilidade de o coronavírus se tornar endêmico, diz secretário de Saúde de PE

André Longo falou sobre o avanço da doença em Pernambuco durante entrevista coletiva

Novo coronavírus já foi detectado em mais de 2 mil pessoas em Pernambuco
Há possibilidade de o coronavírus se tornar endêmico, diz secretário de Saúde de PE (Pixabay)

O secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, disse que o novo coronavírus (covid-19) vai continuar atingindo todo o estado. “Ela [a doença] vai chegar em tempos diferentes sim, e podemos chamar isso de ondas. Também é possível que tenhamos uma nova onda na Região Metropolitana do Recife. Isso não está descartado”, disse ele nessa segunda-feira (8), durante uma coletiva de imprensa sobre o avanço do vírus em Pernambuco.

De acordo com o secretário, os pesquisadores estão estudando a hipótese de a doença se tornar endêmica em países em desenvolvimento: “Muitos falam que é uma possibilidade, em sociedades como a nossa, na América Latina e em alguns países em desenvolvimento, a doença se tornar endêmica, dentro de patamares de convivência. Isso precisa ser melhor estudado".
Uma doença é endêmica quando ela se manifesta de maneira contínua em algumas regiões, de modo que as pessoas convivam constantemente com a doença, como dengue zika e chicungunha em Pernambuco.

O secretário destacou que é necessário as autoridades continuarem atentas aos casos do coronavírus e acompanhem a doença:“É preciso acompanhar, sem dúvidas, todos os dados do Grande Recife e de outras macrorregiões para, inclusive, tomar medidas diferentes, dependendo da situação epidemiológica de cada uma das localidades”.

Coronavírus em Pernambuco

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) confirmou nesta terça-feira (9), 305 novos casos da Covid-19. Entre os novos confirmados, 131 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 174 como leves. Pernambuco totaliza 41.010 casos já confirmados, sendo 16.091 graves e 24.919 leves.

Foram confirmadas 103 mortes ocorridas desde 24 de abril. Do total, 60 óbitos (58,2%) ocorreram entre o dia 24 de abril e 05 de junho e 43 (41,8%) foram registrados nos últimos 3 dias. Com isso, o Estado totaliza 3.453 mortes pela doença.