menu

Rompimento de barragem de Sairé deixa mais de 1,2 mil desalojados em Barra de Guabiraba

Barragem se encheu após chuvas registradas na região recentemente

A água voltou a subir em Barra de Guabiraba
A água voltou a subir em Barra de Guabiraba (Cortesia/JC)

Mais de 1,2 mil pessoas ficaram desalojadas nessa segunda-feira (15) em Barra de Guabiraba, no Agreste pernambucano, após o rompimento de uma barragem da zona rural de Sairé. A estrutura que cedeu é a barragem que fica próximo ao Sítio Estivas. Os impactos foram sentidos em cidades do Agreste e também da Zona da Mata, por onde passa o Rio Sirinhaém.

De acordo com o Governo estadual, a barragem, que se encheu após chuvas registradas na região recentemente, tem cerca de oito metros de altura, 120 metros de comprimento e capacidade para acumular 350 mil metros cúbicos de água.

Segundo o Coordenador da Defesa Civil de Barra de Guabiraba, Nazareno Maranhão, o nível do rio subiu aproximadamente cinco metros. O volume diminuiu de tarde, mas voltou a subir durante a noite. "Conseguimos evacuar toda a população ribeirinha, em um trabalho que iniciou às 9h. A estimativa é de que 400 famílias, mais de 1,2 mil pessoas, saíram de suas casas para se abrigar em residências de familiares", disse.

Segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), em 48h, Sairé registrou um volume acumulado de chuvas de 112 milímetros, 100% volume total esperado para junho. ''Essa barragem já tem 20 anos que foi construída. Infelizmente, por conta das chuvas, ela não aguentou e acabou sangrando. Quando ela sangrou por cima do paredão, houve o rompimento e trouxe essa água com volume muito grande. Nunca foi visto esse volume de água em Sairé", disse o prefeito de Sairé, Fernando Pergentino.

O prefeito avisou que os municípios de Barra de Guabiraba e Cortês, que são cortados pelo Rio Sirinhaém, foram alertados.

O Governo de Pernambuco informou através de nota que a Apac está acompanhando a situação, com o apoio da Secretaria Executiva de Defesa Civil de Pernambuco. Também foi informado que a Central de Atendimento registrou alagamentos em diversas cidades do Agreste e Zona da Mata por conta das fortes chuvas, as quais provocaram deslizamentos de barreiras .

Serão realizadas, na manhã desta terça-feira (16), visitas técnicas nos municípios que foram atingidos.

Por meio de nota, a Celpe informou que registrou o número de ocorrências no municípios. Além disso, a companhia informa que os clientes podem entrar em contato pelos canais digitais da empresa ou perfis das redes sociais em caso de solicitações. Leia a nota na íntegra:

"Em decorrência do aumento das chuvas na região do Agreste pernambucano, associadas a ventos de maior intensidade, a Celpe informa que registou aumento no número de ocorrências nos municípios de Sairé e Barra de Guabiraba. A concessionária reforçou o número de equipes de prontidão e está atuando ininterruptamente para restabelecer o fornecimento de energia nas localidades afetadas. A companhia solicita, ainda, que, em caso de solicitações, os clientes entrem em contato pelos canais digitais da empresa, como app disponível para Android e iOS ou perfis oficiais nas redes sociais, para que sejam estrategicamente direcionadas equipes de prontidão. A Celpe se coloca à disposição".

Veja a reportagem:

Rompimento de barragem em Sairé deixa moradores desabrigados

  • 16/06/2020 08:43
Mais de 1,2 mil pessoas ficaram desalojadas nessa segunda-feira (15) em Barra de Guabiraba, no Agreste pernambucano, após o rompimento de uma barragem da zona rural de Sairé. A estrutura que cedeu é a barragem Guilherme Pontes, que fica próximo ao Sítio Estivas. Os impactos foram sentidos em cidades do Agreste e também da Zona da Mata, onde passa o Rio Sirinhaém. 2 minutos e 3 segundos

''Nunca foi visto esse volume de água em Sairé'', afirme prefeito sobre rompimento de barragem

  • 15/06/2020 19:49
Após fortes chuvas, nesta segunda-feira (15), uma barragem no município de Sairé, no Agreste de Pernambuco, se rompeu. Devido ao grande volume de água do Rio Sirinhaém que se espalha pela região. A orientação da Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe) para os moradores é procurar um local seguro para evitar maiores tragédias. 39 segundos