Educação

Consed prevê volta às aulas com menos alunos por sala e todos de máscara

Medidas também incluem refeitórios com lugares marcados e rodízio de estudantes em sala e em casa

Marília Pessoa
Marília Pessoa
Publicado em 17/06/2020 às 11:50
NOTÍCIA
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

O Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) elaborou diretrizes para o retorno das aulas presenciais no Brasil. Algumas delas incluem menos alunos por sala, apenas atividades individuais, rodízio entre estudantes em sala e em casa. Além disso, nos intervalos, os refeitórios terão lugares marcados e cada aluno deve ter a própria garrafa de água. Professores e alunos deverão usar máscaras sempre.

Os secretários estaduais elaboraram a cartilha nacional para que Estados possam fazer adaptações para diminuir o risco de transmissão do coronavírus.

As escolas precisam apresentar maneiras de cumprirem a carga horária mínima anual com ampliação da jornada e também a reposição de aulas aos sábados ou em outros horários. O ano letivo poderá ser aumentado.

"Os anos letivos de 2020 e 2021 serão entendidos como um ciclo. Com isso, os alunos não seriam prejudicados. Os conteúdos de 2020 seriam distribuídos nesse ciclo", explica a secretária de educação de Alagoas, Laura Souza, uma das coordenadoras do documento.

A cartilha do Consed foi orientada para escolas da rede pública, mas também influencia nas medidas a serem adotadas nas escolas particulares.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Escolas particulares de PE se preparam para volta às aulas

Mesmo sem data definida para a volta das aulas presenciais nas salas de aula em Pernambuco, algumas escolas particulares já estão se preparando para receber os alunos novamente. A preparação inclui medidas para impedir a disseminação do novo coronavírus (covid-19).

O Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de Pernambuco (Sinepe) elaborou um documento com orientações para as escolas. De acordo com o texto, a retomada das aulas presenciais deve ocorrer de forma gradual, intercalada com atividades remotas. A expectativa é de que a retomada comece a partir de julho, já que há decreto do governo estadual proibindo as atividades presenciais até 30 de junho.

De acordo com o sindicato, os primeiros a voltar provavelmente serão os estudantes da educação infantil e do 3º ano do Ensino Médio. Os pequenos por causa da volta dos pais ao trabalho e os adolescentes, devido ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e outros vestibulares.

Mais Lidas