menu

Agreste puxa a taxa de contágio de Pernambuco para cima, diz secretário de Saúde sobre covid-19

Novas medidas para a região deverão ser anunciadas

André Longo apresentou a atualização do cenário do coronavírus no Estado
André Longo, secretário estadual de Saúde (YACY RIBEIRO/JC IMAGEM)

O secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, acredita que a curva epidêmica da covid-19 no Agreste do Estado contribui para a elevação do risco de transmissão do novo coronavírus. O índice leva em conta variáveis como o número de casos confirmados diariamente, o volume de pacientes recuperados e os casos em tratamento. A taxa de contágio da covid-19 chegou a se manter por cerca de 20 dias em 0.9 em Pernambuco, mas agora está em 1.

A informação é de levantamentos realizados pelo Instituto para Redução de Riscos e Desastres de Pernambuco, da Universidade Federal Rural de Pernambuco; pela Escola de Higiene e Medicina Tropical da Universidade de Londres; e pelo grupo Covid-19 Analytics, da Pontifícia Universidade Católica do Rio.

"Claramente o Agreste está puxando a taxa de transmissão do Estado para cima, enquanto a Região Metropolitana do Recife tem um índice ainda fruto do processo de isolamento", declarou André Longo, durante coletiva de imprensa online nessa segunda-feira (22).

De acordo com o secretário, o Governo do Estado se preocupa com o crescimento de casos e óbitos em cidades da 4ª Regional de Saúde, sediada em Caruaru. André Longo revela que está previsto para esta terça-feira (23) o anúncio de medidas para a região, seguindo avaliação do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus.

Atividades econômicas

"Infelizmente temos visto o funcionamento de áreas do comércio que não eram para estar em atividade. Há uma preocupação com o funcionamento desordenado da Feira da Sulanca (em Caruaru). Precisamos, enquanto Estado, adotar medidas junto com o município", pontuou.

Nessa segunda-feira (22), a feira da Sulanca parecia estar em pleno funcionamento, com grande número de vendedores e clientes, mesmo com a proibição. Mesmo com as lojas de varejo e a Feira da Fundac fechadas, a comercialização ocorreu nas calçadas, em malas de carros, entre outros.

Ainda segundo o secretário de Saúde, o cenário do Agreste repercute nos hospitais do Grande Recife, que têm Caruaru como o segundo município com mais residentes internados em unidades de saúde da Região Metropolitana: "Isso é preocupante". De acordo com os números da Secretaria Municipal de Saúde, Caruaru tem 1.615 casos confirmados, com 111 óbitos. Outros 352 seguem em investigação.

Caruaru está entre os 85 municípios pernambucanos que não foram autorizados a seguir com o Plano de Convivência com a Covid-19 e seguem com o comércio varejista fechado, ao contrário das outras 99 cidades, que já reabriram as lojas, os shoppings, igrejas, templos, entre outros.