menu

Veja como está sendo o 1º dia de quarentena mais rígida em Caruaru

Polícia está espalhada pela cidade para fazer a fiscalização dos estabelecimentos

Policiais realizam fiscalização em pontos de Caruaru
Policiais realizam fiscalização em pontos de Caruaru (Renata Araújo/TV Jornal Interior)

Nesta sexta-feira (26) começou a quarentena mais rígida em Caruaru e Bezerros, cidades do Agreste pernambucano. O objetivo é aumentar o isolamento social e a transmissão do coronavírus (covid-19). As pessoas só podem sair de casa para realizar ou buscar serviços essenciais.

Em Caruaru, na manhã desta sexta, foi realizado um reforço na fiscalização das barreiras sanitárias e estabelecimentos. Na Praça Coronel Porto, que fica no centro, ainda havia uma movimentação pouco intensa de pessoas e veículos. Equipes da Polícia Militar estão realizando a fiscalização de estabelecimentos que oferecem serviços considerados não essenciais. Em geral, as lojas estão respeitando a orientação.

O Parque 18 de Maio também tinha pouco movimento. A fiscalização estava sendo feita pela cavalaria. Somente barracas com produtos alimentícios funcionavam. A Feira da Sulanca terá atenção especial durante a fiscalização, de modo a evitar a montagem e abertura de bancas.

Na Feira da Verdura, no bairro São Francisco, o movimento parecia normal.

Veja como está sendo o 1º dia de quarentena mais rígida em Caruaru

  • 26/06/2020 15:33
Nesta sexta-feira (26) começou a quarentena mais rígida em Caruaru e Bezerros, cidades do Agreste pernambucano. O objetivo é aumentar o isolamento social e a transmissão do coronavírus (covid-19). 2 minutos e 29 segundos

As forças de segurança pública de Pernambuco estão realizando a Operação Quarentena, lançando diariamente 274 policiais militares, 64 policiais civis e 30 bombeiros militares para fiscalizar as duas cidades. O policiamento foi reforçado em comerciais, feiras, vias de acesso e áreas rurais.

Também foram mobilizados policiais do 4º Batalhão da PMPE, 1º Batalhão Integrado Especializado (1º BIEsp), Regimento de Polícia Montada (RPMon), Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (BEPI) e Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv).

O Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco também faz parte do esforço concentrado com equipes da Operação Choque de Ordem, focada no comércio. Essas equipes vão fazer a fiscalização e apoiarão órgãos como os de controle urbano da Prefeitura de Caruaru e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran). A população pode denunciar casos de descumprimento pelo telefone do Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciods), o 190.

“Atuaremos de forma ostensiva nas áreas que tradicionalmente atraem aglomerações nos dois municípios. Entre as áreas com esse perfil que terão a presença da PMPE intensificada estão Boa Vista, Cohab, Rendeiras, Cedro, São Francisco, Salgado, São João da Escócia, Santa Rosa e Vassoural. Em Bezerros, além do Centro, aumentaremos o policiamento em localidades como Gameleira, Cruzeiro, Santo Antônio, Cohab e Loteamento Bairro Novo. Nosso objetivo é de orientar e fiscalizar as medidas, mas em caso de descumprimento às determinações contidas nos decretos voltados para o combate à pandemia do Novo Coronavírus, as forças policiais podem autuar por descumprimento do artigo 268, do Código Penal Brasileiro”, disse o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua.

Confira como está fiscalização em Caruaru e o movimento durante este primeiro dia de quarentena:

Polícia Militar fiscaliza cumprimento da quarentena em Caruaru

  • 26/06/2020 15:53
Equipes da Polícia Militar estão fiscalizando o cumprimento do decreto estadual que endureceu as medidas de isolamento social em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. 2 minutos e 56 segundos

*Com informações da Rádio Jornal Caruaru e SDS

Confira lista do que pode funcionar em Caruaru e Bezerros

I - serviços públicos municipais, estaduais e federais, inclusive os outorgados ou delegados, nos âmbitos dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, dos Ministérios Públicos e dos Tribunais de Contas;

II - supermercados, padarias, mercados, lojas de conveniência, feiras livres e demais estabelecimentos voltados ao abastecimento alimentar da população;

III - lojas de defensivos e insumos agrícolas;

IV - farmácias e estabelecimentos de venda de produtos médico-hospitalares;

V - lojas de produtos de higiene e limpeza;

VI - postos de gasolina;

VII - casas de ração animal;

VIII - depósitos de gás e demais combustíveis;

IX - lojas de material de construção e prevenção de incêndio;

X – serviços essenciais à saúde, como médicos, clínicas, hospitais, laboratórios e demais estabelecimentos relacionados à prestação de serviços na área de saúde, observados os termos de portaria ou outras normas regulamentares editadas pelo Secretário Estadual de Saúde;

XI - serviços de abastecimento de água, gás e demais combustíveis, saneamento, coleta de lixo, energia, telecomunicações e internet;

XII - clínicas e os hospitais veterinários e assistência a animais;

XIII - lavanderias;

XIV - bancos e serviços financeiros, inclusive lotéricas;

XV - serviços funerários;

XVI - hotéis e pousadas, incluídos os restaurantes e afi ns, localizados em suas dependências, com atendimento restrito aos hóspedes;

XVII - serviços de manutenção predial e prevenção de incêndio;

XVIII - serviços de transporte, armazenamento de mercadorias e centrais de distribuição, para assegurar a regular atividade dos estabelecimentos cujo funcionamento não esteja suspenso;

XIX - estabelecimentos industriais e logísticos, bem como os serviços de transporte, armazenamento e distribuição de seus insumos, equipamentos e produtos;

XX - oficinas de manutenção e conserto de máquinas e equipamentos para indústrias e atividades essenciais previstas neste Decreto, veículos leves e pesados e, em relação a estes, a comercialização e serviços associados de peças e pneumáticos;

XXI - construção civil, escritórios de engenharia, arquitetura e urbanismo, observando-se as determinações constantes de Portaria Conjunta da Secretaria de Saúde e Secretaria de Desenvolvimento Econômico;

XXII - em relação ao transporte intermunicipal de passageiros:

a) transporte mediante fretamento de funcionários e colaboradores relacionados às indústrias e atividades essenciais previstas neste Decreto, e o transporte de saída de hóspedes dos meios de hospedagem para o aeroporto e terminais rodoviários;
b) transporte complementar de passageiros, autorizado em caráter excepcional pela autoridade municipal competente, mediante formulário específico disponibilizado no site da Empresa Pernambucana de Transporte Intermunicipal - EPTI, vedada a circulação na Região Metropolitana do Recife; e
c) transporte regular de passageiros, restrito aos servidores públicos e aos funcionários e colaboradores relacionados às indústrias e atividades essenciais previstas neste Decreto, utilizando-se para essa finalidade até 50% (cinquenta por cento) da frota, podendo esse percentual ser alterado por ato específico do Diretor Presidente da EPTI.

XXIII - serviços de advocacia;

XXIV - restaurantes para atendimento exclusivo a caminhoneiros, sem aglomeração;

XXV - lojas de material de informática, por meio de entrega em domicílio e/ou como ponto de coleta;

XXVI - serviço de assistência técnica de eletrodomésticos e equipamentos de informática;

XXVII - preparação, gravação e transmissão de aulas pela internet ou por TV aberta, e o planejamento de atividades pedagógicas, em estabelecimentos de ensino;

XXVIII - processamento de dados ligados a serviços essenciais;

XXIX - serviços de auxílio, cuidado e atenção a idosos, pessoas com deficiência e/ou dificuldade de locomoção e do grupo de risco, realizados em domicílio ou em instituições destinadas a esse fim;

XXX - serviços de segurança, limpeza, vigilância, portaria e zeladoria em estabelecimentos públicos e privados, condomínios, entidades associativas e similares;

XXXI - serviços de entrega em domicílio de qualquer mercadoria ou produto;

XXXII - imprensa;

XXXIII - restaurantes, lanchonetes e similares localizados em unidades hospitalares e de atendimento à saúde e no aeroporto ou terminal rodoviário, desde que destinados exclusivamente ao atendimento de profissionais da saúde, pacientes e acompanhantes, e passageiros, respectivamente;

XXXIV - restaurantes, lanchonetes e similares em geral, exclusivamente como ponto de coleta e entrega em domicílio;

XXXV - serviços de assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;

XXXVI - atividades de preparação, gravação e transmissão de missas, cultos e demais celebrações religiosas pela internet ou por outros meios de comunicação, realizadas em igrejas, templos ou outros locais apropriados;

XXXVII - serviços de contabilidade;

XXXVIII - transporte coletivo de passageiros, devendo observar normas complementares editadas pela autoridade que regulamenta o setor;

XXXIX – estabelecimentos voltados ao comércio atacadista mediante pontos de coleta, observando-se as determinações constantes em Portaria Conjunta da Secretaria de Saúde e Secretaria de Desenvolvimento Econômico;

XL - estabelecimentos comerciais que possam funcionar mediante entrega em domicílio, observando-se as determinações constantes em Portaria Conjunta da Secretaria de Saúde e Secretaria de Desenvolvimento Econômico.