Educação

UFPE não deverá ter aulas presenciais em 2020, mas avalia ensino remoto

Previsão é voltar presencialmente em 2021

Marília Pessoa
Marília Pessoa
Publicado em 08/07/2020 às 12:35
NOTÍCIA
Reprodução/NE10 Interior
FOTO: Reprodução/NE10 Interior
Leitura:

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) pode não ter mais aulas presenciais em 2020 por conta da pandemia do covid-19. As aulas estavam suspensas desde março e a previsão é voltar presencialmente no próximo ano.

Discute-se a possibilidade de criar um semestre extra para os cursos de graduação de agosto a novembro. Esse semestre extra seria ministrado de maneira remota. Nesta sexta-feira (10) será votada a proposta. Caso seja aprovada, os estudantes terão aulas virtuais a partir de 10 ou 17 de agosto.

A pró-reitora de graduação da UFPE, Magna do Carmo, disse que só será possível voltar se houver condições de todos os alunos terem as aulas remotas. “A perspectiva é de que não retomaremos o semestre 2020.1 este ano. Só podemos voltar com este semestre quando houver condições de ofertar aulas remotas para todos os nossos alunos, já que as restrições sanitárias, por causa da pandemia, vão exigir possivelmente a adoção do ensino híbrido. Sabemos que nem todos têm acesso a equipamentos ou internet”, explicou. A UFPE pretende alugar tabletas e oferecer internet para os alunos mais vulneráveis financeiramente.

A participação dos discentes e professores no calendário suplementar será facultativa. Esse semestre extra terá duração de 12 semanas. Se as aulas forem definidas para começarem no dia 10 de agosto, elas seguirão até 3 de novembro e o semestre encerraria no dia 20 de novembro. Caso as aulas sejam definidas para começarem em 17 de agosto, elas iriam até 17 de novembro e o semestre se encerraria em 4 de dezembro.

“Independentemente de qual data for a escolhida, já sabemos que não haverá condições de retornar com o primeiro semestre de 2020 este ano, pois as atividades do calendário suplementar vão até o fim de novembro ou começo de dezembro. Depois é preciso haver um intervalo para os trâmites burocráticos, além das férias dos professores. Daí a nossa previsão de retorno de 2020.1 ser só em janeiro”, explica Magna do Carmo.

Ingresso de calouros

O ingresso dos calouros que foram aprovados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2020 para a segunda entrada ainda não tem data para ocorrer. Além disso, o ano letivo de 2021 só deve acabar em 2022.

Entre algumas das propostas que serão votadas na reunião desta sexta-feira, está a implementação do calendário acadêmico suplementar com duração de 12 semanas; se as disciplinas serão obrigatórias ou eletivas e quais serão ofertadas; como será o formato das aulas; entre outras.

Mais Lidas