menu

Visitas presenciais nos presídios serão retomadas em Pernambuco

Inicialmente, visitas ocorrem de forma quinzenal e famílias devem seguir algumas regras

Secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico
Secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico (Reprodução/TV Jornal Interior)

O secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, anunciou nesta quinta-feira (30) a volta das visitas presenciais nos presídios do Estado, a partir do dia 8 de agosto.

"Com a queda dos números [da covid-19] em Pernambuco e com a redução da contaminação, a gente entende que é hora de nós enfrentarmos esse grande desafio, que é a reabertura das unidades prisionais", destacou.

Inicialmente, a visita será quinzenal, e apenas uma pessoa por preso poderá entrar na unidade. As visitas continuam sendo realizadas nos sábados e domingos, e terão um tempo máximo de 2h. As visitas íntimas seguem proibidas.

O secretário informou ainda que com a liberação, os presos poderão comemorar o Dia dos Pais. Apesar disto, não foi autorizado o acesso aos presídios por parte de crianças, mulheres grávidas e idosos acima de 60 anos.

As pessoas que forem até os presídios e cadeias terão a temperatura aferida antes de entrar, e devem utilizar máscara de forma obrigatória. Os alimentos levados pelas famílias serão vistoriados, como de costume, e sanitizados, para prevenção contra a covid-19.

Pedro Eurico pediu compreensão e alertou que caso as medidas não sejam cumpridas, pode ser necessário fechar as unidades prisionais novamente.

Números

Atualmente, Pernambuco tem 31.654 presos em 24 presídios e 46 cadeias públicas. Destes, 1.325 testaram positivo para o novo coronavírus, dos quais 90% já voltaram às celas. Há 60 presos isolados dos outros e oito detentos morreram.

O secretário informou que com a pandemia, 2.200 presos foram liberados para cumprir a pena em casa, por fazerem parte do grupo de risco. Destes, 654 são monitorados por meio da tornozeleira eletrônica. Nenhum deles cometeu crimes graves.

Os presídios e cadeias estão fechados desde o dia 20 de março, quando as medidas mais restritivas foram tomadas em Pernambuco para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

O secretário informou que desde o início da pandemia, foram distribuídas mais de 150 mil máscaras para detentos, policiais e servidores terceirizados, além de batas, capas e face shields. As unidades recebem sanitização nas áreas comuns e celas.