menu

Operação da Polícia Federal prende mais de 10 suspeitos de assaltos a bancos e carros-fortes

Foram apreendidas armas de grosso calibre, munição, explosivos, entre outros

Material apreendido pela Polícia Federal na Operação Capitá
Material apreendido pela Polícia Federal na Operação Capitá (Divulgação)

Uma operação realizada no fim da manhã desta quarta-feira (5) pela Polícia Federal em parceria com a Polícia Militar prendeu 11 pessoas em flagrante e apreendeu armas de grosso calibre, munição, explosivos, entre outros. A operação Capitá cumpriu mandados de busca e apreensão em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, em Juazeiro (BA) e São Paulo (SP).

A ação tem como objetivo desarticular uma quadrilha especializada em assaltos a bancos e carros-fortes, que atuava em diversos estados da federação. A Polícia Federal informou que a quadrilha se preparava para realizar, nos próximos dias, um assalto a um carro-forte em uma das rodovias próximas a Juazeiro e Petrolina.

Os 80 policiais federais e os 50 militares da Bahia e de Pernambuco cumpriram 10 mandados de busca e apreensão em Juazeiro, Petrolina e São Paulo. Nos locais em que a polícia esteve, foram encontradas armas de grosso calibre, munição, explosivos, escudos e coletes balísticos, carros roubados, celulares, entre outros objetos utilizados na prática deste tipo de crime.

Investigações

De acordo com a PF, as investigações começaram em março deste ano, após a morte do ex-líder de uma das quadrilhas mais atuantes do Nordeste. O criminoso foi morto durante confronto com a Polícia Militar de Goiás. Após o falecimento, a PF identificou novas lideranças entre os outros membros da organização criminosa.

As 11 pessoas presas em flagrante são suspeitas de porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, receptação, associação criminosa e posse de explosivos.

Um outro membro da quadrilha, que é suspeito de financiar o grupo e ser um de seus principais articuladores, foi preso em São Paulo. Ele tinha dois mandados de prisão em aberto contra ele: um da Justiça da Bahia (condenação por homicídio) e outro da Justiça de Alagoas (preventivo, por roubo).