Recursos

Banco do Nordeste terá linha de crédito voltada para serviços de saúde

Instituição financeira irá financiar projetos para expandir serviços de saúde

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 12/08/2020 às 16:58
NOTÍCIA
Divulgação/Banco do Nordeste
FOTO: Divulgação/Banco do Nordeste
Leitura:

O Banco do Nordeste está preparando uma linha de crédito para financiar projetos de investimentos para a implantação, expansão e modernização da estrutura física de empresas do segmento da saúde humana. Intitulado FNE Saúde, o novo produto conta com o apoio da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

Através da linha de crédito, o banco pretende impulsionar o aumento da produção de itens e equipamentos vinculados ao setor, assim como ampliar a capacidade instalada de atendimento em toda a área de atuação, agregando melhorias na qualidade dos serviços prestados à sociedade.

Ginecologista explica mudanças no ciclo menstrual e responde perguntas

ANS faz acordo para melhorar atendimento de planos coletivos de saúde

O público-alvo da nova linha de crédito são prestadores de serviços de saúde, inclusive os de natureza filantrópica e sem fins lucrativos. O FNE Saúde utilizará recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, principal funding do BNB. A linha foi estruturada seguindo as necessidades do mercado, assim como as prioridades do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE - Sudene).

Os itens financiáveis incluem obras civis, máquinas e equipamentos, softwares, móveis e utensílios, veículos automotores, aquisição de unidades industriais, aeronaves para o transporte de enfermos, insumos, peças, componentes e produtos críticos para saúde, estudos e projetos de engenharia, treinamento, consultorias, serviços técnicos especializados e capital de giro associado.

Também podem ser enquadrados como projeto de saúde em inovação aqueles vinculados às atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação, nas seguintes linhas de atuação: biofármacos, farmoquímicos e medicamentos; equipamentos, materiais e dispositivos médicos; desenvolvimento de novas tecnologias de informação e comunicação (TIC) aplicadas na atenção à saúde à distância (telesaúde e telemedicina); e medicina regenerativa.

Mais Lidas