Pesquisas

Estudo pernambucano treina cães para detectar cheiro de pessoas com coronavírus

Objetivo é testar a sensibilidade e especificidade do olfato canino

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 13/08/2020 às 11:53
NOTÍCIA
Pixabay
FOTO: Pixabay
Leitura:

Pesquisadores brasileiros e franceses estão realizando um estudo para utilizar cães para identificar pessoas infectadas pelo coronavírus. A pesquisa é desenvolvida pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e a Escola Nacional Veterinária de Alfort.

O objetivo é testar a sensibilidade e especificidade do olfato canino. A iniciativa faz parte do Projeto Internacional Nosaïs e está em fase avançada de testes com cães da instituição Amarante do Brasil.

Além disso, o estudo tem colaboração da Secretaria Municipal de Saúde de Paudalho, em Pernambuco. A secretaria disponibilizou equipe para coletar amostras de portadores de síndrome respiratória. Também é feita uma coleta de suor das axilas dos pacientes.

Uma amostra do algodão vai para a UFRPE e a outra é enviada ao Centro de Treinamento dos Cães de Detecção da Amarante. Com essas amostradas, os cães passam por um treinamentos para identificação.

Segundo o coordenador do projeto em Pernambuco, o professor Anísio Francisco Soares, do DMFA, essa técnica permite proteger locais com muita circulação de pessoas: “Assim que os cães, devidamente treinados, identificarem essas pessoas, elas serão notificadas e encaminhadas para isolamento social ou tratamento, evitando-se assim novas ondas de pico da doença. É um trabalho semelhante ao que ocorre em aeroportos, na detecção de entorpecentes e explosivos, além de doenças como malária e câncer”, explicou.

Ação deve ser realizada também em outros estados

A ação deve ser feita inicialmente em Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro, mas poderá também ser realizada em outros estados brasileiros.

*Informações: CNN

Mais Lidas