Bom exemplo

Mulheres encontram dinheiro de auxílio emergencial na rua e devolvem para dona em Caruaru

Jovem grávida recebeu auxílio e acabou deixando a carteira cair no chão após uma compra

Marília Pessoa
Marília Pessoa
Publicado em 28/08/2020 às 8:43
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

Duas mulheres devolveram um dinheiro encontrado para uma mulher grávida que perdeu o auxílio emergencial na manhã dessa quinta-feira (27) em Caruaru, no Agreste pernambucano. A jovem Elaine de Melo, grávida do segundo filho, recebeu o auxílio emergencial no valor de R$ 1.200 em um agência da Caixa Econômica Federal, fez uma compra no valor de R$ 20 e, ao colocar a carteira na sacola, deixou cair o resto do dinheiro e só percebeu quando estava indo para casa.

"Eu saí de casa logo cedo para receber o dinheiro do Bolsa Família. Após eu receber o dinheiro, eu fui comprar umas coisas, mas quando tirei o dinheiro de dentro da bolsa, eu pensei que coloquei dentro da sacola, mas estava no chão e eu não percebi. Quando notei, voltei ao local que eu havia comprado as coisas, mas não estava lá", contou em entrevista à TV Jornal Interior.

A jovem tem 23 anos, é moradora do Sítio Lajes, na zona rural de Caruaru, e ficou preocupada porque não imaginou que alguém pudesse devolver o dinheiro.

Duas amigas estavam caminhando em uma rua da cidade quando encontraram a carteira. Ao abrirem, perceberam que pertencia a uma mulher e resolveram procurá-la.

Beatriz Eloí, uma das amigas, disse que ficou surpresa ao ver a quantidade de dinheiro. "Eu estava com minha amiga e fomos atravessar a rua, quando atravessamos vimos a carteira. Quando a gente abriu, vimos que tinha muito dinheiro dentro. A gente parou, viu os documentos e eu mandei logo para meu tio, que conhece o pessoal da emissora [TV Jornal Interior], já divulgaram e pouco tempo depois ela [Elaine] apareceu para pegar o dinheiro", explicou.

Beatriz entregou a carteira para Elaine, que ficou muito agradecida. "Se não fosse vocês, eu iria passar uma dificuldade muito grande. Eu tenho uma filha de quatro anos e a outra vai nascer daqui a dois meses. Preciso do enxoval e do dinheiro", disse Elaine.

Veja a reportagem:

Mais Lidas