menu

Crianças assintomáticas podem carregar coronavírus por semanas

De acordo com pesquisa, pequenos infectados por este tipo de vírus podem transmitir a doença por vários dias, mesmo que não apresentem sintomas

Crianças também precisam de cuidados para evitar contaminação pelo coronavírus
De acordo com pesquisa, pequenos infectados por este tipo de vírus podem transmitir a doença por vários dias, mesmo que não apresentem sintomas (Pixabay)

Um novo estudo americano identificou resultados preocupantes no que se referem às potencialidades de transmissão do coronavírus Sars-Cov-2 em pequenos.

De acordo com a pesquisa do Hospital Nacional Infantil de Washington, crianças infectadas por este tipo de vírus podem transmitir a doença durante semanas, mesmo que não apresentem sintomas.

Publicado na última sexta-feira (28), no site da revista médica Jama Pediatrics, o novo estudo foi desenvolvido por Roberta L. DeBiasi e Meghan Delaney. Elas analisaram dados de 91 crianças em 22 hospitais da Coreia do Sul.

Segundo ainda a pesquisa, 22% das crianças analisadas não desenvolveram sintomas durante toda a infecção; 20% começaram assintomáticas, mas mais tarde desenvolveram sintomas; e 58% tiveram sintomas desde o primeiro teste positivo. Ao longo do estudo, os hospitais onde essas crianças permaneceram continuaram a testá-los a cada três dias, em média, fornecendo uma imagem de quanto tempo a disseminação viral continua ao longo do tempo.

“Ao contrário do sistema de saúde dos EUA, quem testa positivo para Covid-19 na Coreia do Sul, permanece no hospital até ter se recuperado completamente da infecção”, explica DeBiasi. As doutoras DeBiasi e Delaney também destacaram nos seus comentários sobre o estudo que ele apresenta vários pontos importantes que aumentam a base de conhecimento sobre a Covid-19 em crianças.

Mais identificações

O levantamento observou diferenças significativas no intervalo de tempo em que os pequenos continuaram sintomáticos, alternando em média de três dias a três semanas. Um quinto dos pacientes assintomáticos e aproximadamente metade dos pacientes sintomáticos ainda estava transmitindo o vírus três semanas após a infecção inicial.

Especialistas da área avaliaram a publicação desta pesquisa como oportuna, haja vista que vários países do mundo têm retomado as aulas presenciais nas escolas. Com ela, o alerta foi reforçado quanto à importância do debate sobre o retorno delas.

Com informações do UOL