Economia

Veja dicas de como conseguir crédito para pequenos negócios

Hoje, aproximadamente 30% do PIB brasileiro se deve a atuação das micro e pequenas empresas

Pedro Augusto
Pedro Augusto
Publicado em 03/10/2020 às 9:08
NOTÍCIA
Valter Campanato/Agência Brasil
FOTO: Valter Campanato/Agência Brasil
Leitura:

As micros e pequenas empresas são aquelas cujo faturamento anual não excede a R$ 360 mil. Hoje, aproximadamente 30% do PIB brasileiro se deve a atuação dessas empresas que foram empresas extremamente afetadas durante a pandemia pela escassez de recursos, por exemplo, para capital de giro. O governo, no ano passado, aprovou a Lei de Liberdade Econômica, fato que representa um grande salto na direção do fortalecimento desse setor.

Mas como como conseguir crédito para pequenos negócios? Com o objetivo de orientar os leitores sobre o assunto, o NE 10 Interior entrevistou o mestre em Economia, Maurício Assuero, bem como disponibiliza lista do Sebrae com dicas importantes.

Primeiro, o especialista apontou quais são as melhores condições para se obter crédito para pequenos negócios.

"O BNDES e BNB dispõe de linhas para atendimento de micros e pequenas empresas. O BNDES disponibiliza um cartão, como se fosse um cartão de crédito, através do qual a empresa pode adquirir insumos, equipamentos e o custo financeiro atualmente é de 0,96%, ao mês. Ou seja, é relativamente baixo, embora seja superior a taxa Selic, que está em 2% ao ano. A vantagem é que o cartão sai através do banco que o cliente opera e o processo de solicitação é extremamente simples. Alguns bancos, os maiores, trabalham com taxa de desconto de duplicata até menor que 0,96% ao mês. O Banco do Brasil, por exemplo, no período entre 10 e 16 de setembro, operou com taxa de 0,79% ao mês, no entanto, nesse momento de incerteza seria muito importante que as micros e pequenas empresas não antecipassem seus recebíveis para que elas mantenham certa segurança em contar com recursos disponíveis".

Maurício Assuero chamou atenção também para os fatores que devem ser observados durante a formalização do crédito.

"A principal questão é administração do fluxo de caixa e demonstração real da capacidade de pagamento. É fundamental que qualquer crédito dimensionado para não gerar endividamento. Outra questão é a taxa de juros. Com a Selic em 2% ao ano, qualquer operação acima de 1% ao mês, já deve ser vista com reserva. As empresas devem buscar taxas mais baixas. Se seu banco cobra acima disso, comunique ao seu gerente que está buscando alternativas. Outro ponto importante é o tipo de garantia que vai ser negociado. Algumas operações de pequeno porte não precisam de garantias reais e podem ser feitas com garantias fidejussórias, obviamente, dependendo do prazo da operação".

Para finalizar, o economista ainda deu algumas dicas para não cair ciladas durante o processo de aquisição de crédito.

"Evite fechar operações por telefone. Não forneça dados por telefone. Evite dar um passo maior do que a perna e destine qualquer crédito a uma potencial geração de receita subsequente. Invista no que for prioritário. Importante saber que o BNDES não credencia consultores, por isso, qualquer pessoa que lhe prometer intermediar operações com esse órgão não tem autonomia para isso. A relação do BNDES com os clientes ocorrem através dos agentes intermediários, que são os bancos credenciados pelo BNDES como agente repassador".

Confira, agora, a lista de dicas elaboradas pelo Sebrae.

5 passos

1. Identificar a necessidade de crédito

É importante ter claro o valor do financiamento e a finalidade do recurso pretendido. Você quer ou precisa comprar máquinas, equipamentos, matéria-prima? Sua necessidade é aumentar a estrutura física? É preciso ter certeza!

2. Buscar informações e escolher a instituição financeira

Informe-se sobre as linhas de financiamento que melhor se enquadram nas necessidades de crédito identificadas por você. Depois, procure quais instituições financeiras operam com essas linhas. Essa pesquisa vale ouro, porque as condições de custos, prazos e limites, por exemplo, podem variar bastante de banco para banco. Fique atento!

3. Analisar os fatores de restrição

É imprescindível estar com todos os fatores de restrição (como situação legal, garantias e capital próprio, por exemplo) adequados às exigências das instituições financeiras.

4. Elaborar o plano de negócios

Você terá que mostrar ao banco que o seu projeto é financeiramente viável. O melhor modo de fazer isso é apresentando o plano de negócios. Não esqueça: algumas instituições financeiras solicitam que o estudo da viabilidade do projeto seja realizado com uma ferramenta da própria instituição. Então, organize-se!

5. Efetuar o pedido de financiamento

Vá até a instituição financeira e forneça ao gerente a documentação necessária, as garantias solicitadas e o plano de negócios, mostrando a viabilidade do projeto. Depois de concluir esses procedimentos, a instituição financeira analisará o projeto e retornará para informar a liberação ou a restrição ao financiamento.

Mais Lidas