Imunização

OMS diz que aprovação de vacina contra covid-19 depende da ciência, não da nacionalidade

Bolsonaro já decidiu que não comprará vacina produzida na China

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 23/10/2020 às 11:17
NOTÍCIA
 Dado Ruvic / Reuters
FOTO: Dado Ruvic / Reuters
Leitura:

A Organização Mundial de Saúde (OMS) disse nesta sexta-feira (23) que o uso das vacinas de covid-19 que estão sendo desenvolvidas em todo o mundo deve levar em conta questões científicas, e não o país que as produziu.

A porta-voz da OMS, Margaret Harris, disse que "não é sobre nacionalidade. É sobre ciência". A representante da OMS disse ainda que qualquer vacina terá que atingir "os mais alto padrões" para ser aprovada.

> Bolsonaro diz que vacina chinesa não transmite segurança

Esta semana, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não irá comprar a vacina chinesa (Coronavac), que está sendo desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. "Da China não compraremos", declarou o presidente.

Descrédito

Bolsonaro desacredita na segurança do imunizante, usando como justificativa o fato do coronavírus ter surgido no país asiático.

“Acredito que teremos a vacina de outros países, até mesmo a nossa, que vai transmitir confiança para a população. A da China, lamentavelmente, já existe um descrédito muito grande por parte da população, até porque, como muitos dizem, esse vírus teria nascido lá”, disse, em entrevista à Rádio Jovem Pan.

Mais Lidas