menu

Taxa de desemprego chega a 14,4% e atinge recorde, diz IBGE

Atualmente, são 13,8 milhões de desempregados no Brasil

A taxa de desemprego cresceu em 14 das 27 unidades da Federação no primeiro trimestre deste ano
A taxa de desemprego voltou a subir no Brasil (Marcello Casal/Agência Brasil)

A taxa de desemprego bateu o recorde após atingir 14,4% no trimestre encerrado em agosto, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua). O aumento foi de 1,6 ponto percentual em comparação com o trimestre encerrado em maio, que foi de 12,9%. A série histórica começou em 2012.

Desta forma, o número de desempregados é de 13,8 milhões, o que representa um aumento de 8,5% quando comparado ao trimestre anterior. De acordo com os números, divulgados nesta sexta-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são aproximadamente 1,1 milhão de pessoas a em busca de um emprego.

O aumento é creditado pela analista da pesquisa, Adriana Beringuy, à flexibilização das medidas de isolamento social causadas pela pandemia da covid-19. Agora, as pessoas estão saindo mais de casa para procurar uma oportunidade no mercado de trabalho.

"A gente percebe um maior movimento no mercado de trabalho em relação ao trimestre móvel encerrado em maio", disse ela, à Agência Brasil.

O levantamento mostrou ainda que o número de pessoas ocupadas no Brasil caiu 5% (4,3 milhões) em comparação com o trimestre que acabou em maio, totalizando 81,7 milhões.

"O cenário que temos agora é da queda da ocupação em paralelo com o aumento da desocupação. As pessoas continuam sendo dispensadas, mas essa perda da ocupação está sendo acompanhada por uma maior pressão no mercado", destacou a analista.

*Com informações da Agência Brasil