menu

Homem negro morre após ser espancado em supermercado em Porto Alegre

Vítima foi agredida por seguranças

Homem negro morre após ser espancado em supermercado
Homem negro morre após ser espancado em supermercado (Reprodução)

Um homem negro de 40 anos morreu na noite dessa quinta-feira (19), após ser espancado no supermercado Carrefour, em Porto Alegre. O caso ocorreu na véspera do feriado do Dia da Consciência Negra.

Veja também

O homem teria discutido com a caixa do estabelecimento e foi levado pelo segurança até o estacionamento. Um dos clientes, policial militar temporário, os acompanhou juntamente com uma funcionária do local.

No caminho até o estacionamento, de acordo com a funcionária em depoimento para a polícia, a vítima teria desferido um soco contra o PM e começou um tumulto.

"A partir disso começou tumulto, e os dois agrediram ele na tentativa de contê-lo. Eles [o PM e o segurança] chegaram a subir em cima do corpo dele, colocaram perna no pescoço ou no tórax", disse o delegado Leandro Bodoia.

Imagens flagraram o momento do espancamento e a tentativa dos socorristas de salvarem o homem. O vídeo circula nas redes sociais. Na imagem, é possível ver o homem recebendo socos na região do rosto.

O Samu foi até o local, mas o homem não resistiu e morreu. A causa da morte deverá ser apontada no laudo pericial.
A esposa do homem foi ouvida pela polícia e disse que não precisou o espancamento porque estava longe dele.

O policial militar e o segurança foram conduzidos para a delegacia, mas ficaram em silêncio durante os depoimentos. A polícia está aguardando o laudo pericial e mais imagens de para esclarecer o caso.

O Carrefour decidiu romper o contrato com a empresa de segurança e fechará a loja. Através de nota, o estabelecimento disse que "adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário".

Ainda na nota, o Carrefour disse: "Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais".

*Com informações da UOL

Veja o vídeo: