Compras online

Black Friday: Procon divulga lista com 200 sites com má reputação; confira

Confira a relação das lojas para evitar

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 25/11/2020 às 11:31
NOTÍCIA
Pixabay
FOTO: Pixabay
Leitura:

A Black Friday será realizada na próxima sexta-feira (27) e alguns sites já estão oferecendo promoções em vários produtos. Porém, em um momento em que os consumidores são estimulados a comprar mais, aumenta o número de pessoas mal intencionadas que promovem fraudes, roubo de dados, entre outros. Outras lojas infringem os direitos dos consumidores.

Pensando nisso, o Procon Estadual do Rio de Janeiro (Procon-RJ) fez uma lista reunindo 200 sites de comércio online que tem má reputação [veja abaixo]. A relação foi elaborada com base em questões como o volume de reclamações do consumidor e a quantidade de notificações enviadas pelo Procon-RJ. A lista inclui sites denunciados por não entregar os produtos comprados, que não disponibilizam contatos para que os clientes façam reclamações, que não têm cadastro ativo na Receita Federal, que não estão aptos a emitir nota fiscal, entre outros.

> Veja a lista de sites com má reputação

O Procon-RJ orienta que os clientes estejam atentos a sites que anunciam produtos com valores muito abaixo da média do mercado. Outro artifício utilizado pelos criminosos é pedir para que o consumidor envie cópias de documentos durante o processo de compra, o que não deve ser atendido. Para clonar dados, algumas empresas podem pedir ainda que o cliente informe códigos recebidos por aplicativos ou por mensagens de telefone.

O órgão orienta que o cliente prefira o pagamento com cartão de crédito, e se atente a sites que só aceitam boleto bancário. O motivo é que em caso de problemas com a compra, o consumidor terá mais dificuldade para ressarcir o valor.

Ao comprar online, é recomendado ainda dar preferência a sites de empresas com endereço físico no Brasil. O consumidor também pode conferir na barra no navegador se o endereço eletrônico usa o protocolo HTTPS, com um ícone em forma de cadeado fechado, com o certificado de segurança do site.

Compras online

De acordo com um levantamento da empresa Ebit/Nielsen, o faturamento do comércio online no Brasil cresceu 47% no primeiro semestre de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019. A pandemia da covid-19 estimulou as compras online, já que os estabelecimentos físicos tiveram que fechar para evitar a disseminação do coronavírus.

Alguns sites considerados confiáveis também praticam algumas irregularidades, de acordo com o Procon-RJ. Na semana passada, foram observados problemas nos sites Ponto Frio, Extra, Submarino, Americanas, Fast Shop e Peixe Urbano. O mais recorrente encontrado na fiscalização foi a divergência entre o valor ofertado e o preço na hora de realizar a compra. Também foi identificada promessa enganosa de frete grátis e oferta de cupom de desconto inválido.

O Procon-RJ orientou ainda que o Código do Consumidor prevê o direito de arrependimento. O prazo é de sete dias a partir da data da entrega do produto para manifestar desistência e assim receber de volta todos os valores eventualmente pagos, inclusive os do frete. Consumidores que se sentirem lesados podem recorrer ao órgão, efetuando reclamação por meio de seu site ou do aplicativo para telefone celular.

*Com informações da Agência Brasil

Mais Lidas