Pandemia

Vídeo mostra falta de oxigênio em hospitais de Manaus

Governador decretou toque de recolher para tentar diminuir a propagação da Covid-19

Laís Milena
Laís Milena
Publicado em 14/01/2021 às 17:00
NOTÍCIA
Reprodução/Junio Matos |A crítica
FOTO: Reprodução/Junio Matos |A crítica
Leitura:

Profissionais de saúde e parentes de pacientes com Covid-19 informaram que falta oxigênio nos hospitais de Manaus (AM). Vídeos divulgados nas redes sociais mostram médicos transportando cilindros e familiares tentando comprar o item. A cidade, e todo o estado, vivenciam uma crise de abastecimento de oxigênio, com o aumento constante de internações por Covid-19.

Uma das principais empresas que fornece os cilindros de oxigênio informou que está com dificuldades de produção. O governador do Amazonas, Wilson Lima, montou uma operação para abastecer o estado com o insumo. Aviões da Força Aérea Brasileira estão transportando oxigênio de outros estados para o Amazonas. Além disso, pacientes com Covid-19 devem ser transferidos para outros estados, visto que alguns hospitais do estado já estão com superlotação.

"O Estado está mobilizando uma operação junto com o Exército para trazer cilindros de oxigênio de Guarulhos, em São Paulo, estudando a montagem de miniusinas de oxigênio e também estou pedindo a ajuda dos demais estados para que identifiquem empresas que possam fornecer esse produto ao Amazonas", disse o governador Wilson Lima.

A situação é caótica, enfermeiros relatam que os pacientes estão sendo "ambuzados", ou seja, recebendo oxigenação de forma manual, já que os respiradores estão sem oxigênio. No entanto, cada profissional consegue ambuzar um paciente, por no máximo, 20 minutos, quando dá lugar a outro técnico, o mecanismo além de desgastante é arriscado.

Toque de recolher

Na tarde desta quinta-feira (14), o governador do Amazonas, Wilson Lima publicou um decreto que proíbe a circulação de pessoas e suspende o transporte coletivo em Manaus, entre 19h e 6h. Todas as atividades, exceto serviços essenciais, também estão proibidas.
 
Entre 1º e 11 de janeiro, foram registradas 1.979 novas internações pelo novo coronavírus. Os enterros das vítimas da Covid-19 também bateram recordes, nos primeiros 10 dias de 2021 foram registrados 379.

 Veja:

Mais Lidas