Pandemia

Porta-voz da Índia diz que é "cedo para dar uma resposta" sobre a exportação de vacinas

Declaração ocorreu no dia em que um avião decolou de Campinas-SP para buscar 2 milhões de doses da Vacina de Oxford na Índia

Laís Milena
Laís Milena
Publicado em 15/01/2021 às 13:36
NOTÍCIA
Reprodução/NE10 Interior
FOTO: Reprodução/NE10 Interior
Leitura:

Durante coletiva realizada nesta quinta-feira (14), o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Índia, Anurag Srivastava, disse que "ainda é muito cedo para dar uma resposta" sobre a exportação de vacinas produzidas no país. A declaração ocorreu no mesmo dia em que um avião decolou de Campinas (SP) para buscar 2 milhões de doses da vacina de Oxford em Mumbai.

Avião que vai buscar vacinas contra covid-19 na Índia decola nesta sexta do Recife

Os jornalistas presentes na coletiva questionaram sobre a entrega das doses a Brasil, o porta-voz não deixou claro se a resposta era para o caso brasileiro, mas reforçou que o país ainda está avaliando a possibilidade de exportar doses do imunizante. Ele disse, ainda, que a vacinação no país está apenas no começo. "Ainda estamos avaliando os prazos de produção e de entrega. Isso pode levar tempo", destacou Anurag Srivastava.

A aeronave, enviada pelo Governo Brasileiro, fez escala no Recife e segue para Mumbai nesta sexta-feira (15) às 23h. Ainda não há informações sobre o retorno do avião. 

Vacinação no Brasil

A vacinação no Brasil está prevista para começar no dia 21 de janeiro. A expectativa é que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) avalie o pedido de uso emergencial do Butatan, para a CoronoVac e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para a vacina de Oxford, no domingo (17). O início da campanha conta com as doses de imunizantes vindas da Índia.

Mais Lidas