A Lenda

Cão farejador da Polícia Militar é 'aposentado' após nove anos

O pastor alemão Ninja, do 1º Biesp, se tornou referência e ajudava os policiais a localizar drogas

Eduarda Cabral
Eduarda Cabral
Publicado em 22/01/2021 às 15:36
NOTÍCIA
Divulgação/Polícia Militar
FOTO: Divulgação/Polícia Militar
Leitura:

Após nove anos e um legado de conquistas na Polícia Militar, o pastor alemão Ninja, “A Lenda”, está "aposentado" dos seus serviços. O cão foi o primeiro na CIPCães e depois no 1º BIEsp, de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Ninja nasceu no dia 7 de setembro de 2011, em Goiás, no Canil Caraíbas, e foi adquirido quando ainda era filhote.

O cão farejador se tornou referência e ajudava a polícia a localizar drogas. De acordo com o comandante do 1º BIEsp, tenente coronel Bantim, Ninja foi treinado para atuar na Copa do Mundo de 2014 e chamou a atenção por seu faro apurado.

“Cada cão tem suas características próprias. É uma questão de genética. Uns são mais agressivos, para o trabalho policial, outros se destacam pelo faro, que é o caso de Ninja, que tem um faro muito aguçado”, destacou o tenente coronel.

A decisão de “aposentar” Ninja foi tomada pelo bem do animal. Ele já apresentava alguns problemas de saúde, como uma enfermidade na pata, e sentia dores quando estava em operações em terrenos acidentados. Seguindo uma tradição, o cão será doado ao policial mais antigo do canil, que deve cuidar dele para o resto da vida.

Ninja o cão policial que participou da maior apreensão de maconha da história de Pernambuco, na cidade de São Caetano, onde foram apreendidas aproximadamente nove toneladas do entorpecente. Ele também participou da maior apreensão de crack do estado, em 2018.

Trajetória

Ninja ainda ajudou a apreender aproximadamente dez toneladas de maconha durante toda a carreira e ajudou o 1º BIEsp a debelar aproximadamente mil pontos de tráfico de drogas desde 2017, além de auxiliar as equipes do Batalhão na apreensão de aproximadamente 100 armas de fogo.

Mais Lidas