menu

Saúde mental e academia: como saber o limite entre o saudável e o exagero?

É importante se cuidar e estar satisfeito com a própria aparência, entretanto, exageros devem ser observados

Um corpo saudável, é possível
Um corpo saudável, é possível (Reprodução/ Internet)

A busca por um corpo determinado como perfeito coloca as pessoas que vivem esse movimento em uma grande carga emocional. É importante se cuidar e estar satisfeito com a própria aparência, entretanto, exageros devem ser observados.

A Psicóloga Clínica Étima Feitosa, dentro desse contexto, aborda a limitação entre um corpo saudável e os exageros. Segundo ela, um dos principais excessos está nas próprias dietas não balanceadas e feitas sem o acompanhamento de um profissional da categoria. A adesão dá uma ilusão de progressão, pois o efeito é imediato. Entretanto, alertam os médicos, que é tudo temporário.

Segundo ela, um dos principais fatores que podem apontam os excessos está nas dietas não balanceadas, feitas sem o acompanhamento de um profissional, que muitas vezes surtem algum efeito temporário, porém na grande maioria das vezes, a pessoa não consegue manter os resultados, gerando um efeito temporariamente, o que causa uma certa frustração e pode acarretar em problemas mais complexos.

Na internet, temos muitos exemplos de programas que prometem milagres, e dão acesso a falsas informações sobre beleza, que acabam levando as pessoas a se iludir com uma estética perfeita. A idade também é um fator que pode influenciar muito nesse aspecto, pois, segundo a psicóloga, as pessoas precisam aprender a envelhecer, não somente convivendo com as mudanças que o seu corpo sofrerá com o passar dos anos, mais cuidando para minimizar ao máximo essas mudanças.

Praticar exercícios em uma academia aliados a uma alimentação saudável são alguns dos fatores mais importantes nesse processo de busca da satisfação mental, até por que, um corpo saudável vem sempre acompanhado por uma mente saudável.

Janeiro Branco

Há sete anos, a campanha Janeiro Branco foi criada por psicólogos do Estado de Minas Gerais. O objetivo é de promover debates no primeiro mês do ano que levem à conscientização a respeito da saúde mental e do adoecimento emocional.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 12 milhões de brasileiros sofrem com depressão. Isso representa uma parcela de 5,8% da população. O Brasil é o segundo colocado no ranking dos países com população depressiva, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.