Paralisação

Governo vê "fracasso" na greve dos caminhoneiros

Paralisação é motivada pela alta dos combustíveis e tabela de frete

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 02/02/2021 às 10:44
NOTÍCIA
Reprodução/NE10 Interior
FOTO: Reprodução/NE10 Interior
Leitura:

De acordo com um balanço realizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) houve uma baixa adesão ao movimento da greve dos caminhoneiros nessa segunda-feira (1º). A paralisação é organizada por lideranças de caminhoneiros autônomos por causa da alta dos preços de combustíveis e a tabela de frete.

O balanço que foi divulgado no final da tarde dessa segunda mostrava que o fluxo de veículos em rodovias federais sob gestão do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) estava livre.

"A greve fracassou e fez água. Conversamos muito com os caminheiros e, desde o início, a gente já dizia que essa greve não ia voar. As poucas coisas que aconteceram, como queimada de pneus e paralisação em São Paulo, não têm relação com os caminhoneiros. Agora, não é porque a greve não prosperou que vamos abandonar a agenda, mas precisamos estudar", ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, ao Estadão.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Em Pernambuco, não houve registros de interdição. Segundo da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o trânsito segue normal nas rodovias federais.

Greve dos Caminhoneiros em 2018

Em 2018, o grupo realizou uma paralisação que durou dez dias, afetando o sistema de distribuição em todo o país que causou uma falta generalizada de combustível. Dessa vez, segundo Plínio Dias, presidente do CNTRC, a situação é pior do que naquele ano.

Na semana passada o presidente Jair Bolsonaro fez um apelo aos motoristas para que adiassem a greve. Segundo ele, o governo avalia alternativas para reduzir o PIS/Cofins e o preço do diesel.

Mais Lidas