Vacina

Responsável pela Sputnik V diz que vacinação no Brasil começa em março

O Ministério da Saúde realiza reunião nesta sexta-feira (5) para compra de 10 milhões de doses

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 04/02/2021 às 18:18
NOTÍCIA
Reuters/Direitos reservados
FOTO: Reuters/Direitos reservados
Leitura:

Os responsáveis pela vacina russa Sputnik V apostam na aprovação do uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nos próximos dias. A previsão é do diretor de Negócios Internacionais da União Química, Rogério Rosso, ele explica que o processo foi apenas interrompido, o que facilita a continuidade do processo.

O tempo estipulado pela Anvisa, para dar resposta sobre o uso emergencial de uma vacina sem testes em voluntários brasileiros é de 30 dias. No caso de vacinas testadas em território nacional, o prazo é de 20 dias. No entanto, a expectativa é que essa decisão seja antecipada, visto que parte da documentação necessária já foi enviada.

Os desenvolvedores russos e representantes da União Química, responsável pela produção da Sputnik V no Brasil, se reúnem nesta sexta-feira (5) com o Ministério da Saúde para fechar a compra de 10 milhões de doses prontas. Elas estão programadas para chegar ao Brasil entre fevereiro e março. A vacinação com o imunizante deve começar assim que as doses forem distribuídas aos estados.

Recentemente, a vacina teve eficácia comprovada de 91,6%. Por enquanto, a Sputnik V é a única que tem o Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) sendo produzido em território nacional. A vacina de Oxford e a CoronaVac, pediram a transferência tecnológica para produção independente, mas ainda aguardam a importação do IFA.

A União Química terá capacidade de produzir 8 milhões de doses a partir de abril. Para que essas doses nacionais sejam incorporadas ao Plano Nacional de Imunização (PNI), será necessário o registro da vacina, processo que pode demorar 60 dias. Por isso, a ideia da farmacêutica é submeter o dossiê completo ainda em fevereiro.

Mais Lidas