menu

Uso de duas máscaras pode reduzir o risco de transmissão da Covid-19

A recomendação foi para colocar uma cirúrgica e outra de pano por cima

Máscara de proteção contra o coronavírus são produzidas por organização de bloco carnavalesco em Limoeiro, no Agreste de Pernambuco
Máscara de proteção contra o coronavírus (Cortesia)

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) divulgou nesta quarta-feira (10) um estudo sobre o uso de máscaras como prevenção a Covid-19. O instituto sugere que o uso de duas máscaras, uma cirúrgica e outra de pano por cima, pode reduzir o risco de transmissão do coronavírus em 95%.

A diretora do CDC, Rochelle Walensky, disse que os estudos comprovaram a maior eficácia do uso de máscaras bem ajustadas e colocadas corretamente. Os pesquisadores fizeram um nó nas alças da máscara cirúrgica; depois, a máscara de pano foi colocada por cima, o mais ajustado possível ao rosto, sem deixar espaço aberto.

Os resultados da pesquisa demonstraram que a máscara cirúrgica, sem o ajuste, bloqueou 42% das partículas de uma tosse simulada. A máscara de pano bloqueou 44,3%. A combinação das duas conseguiu reter 92,5% das partículas.

Em outro experimento, o CDC tentou simular a propagação da Covid-19 durante a respiração quando uma ou mais pessoas estão usando o item de proteção. No 1º cenário, a pessoa que emite as partículas usa duas máscaras. Aqui, a exposição ao coronavírus foi reduzida em 82,2%. Em um 2º cenário, com a pessoa usando apenas a máscara cirúrgica, a exposição foi reduzida em 62,9%.

O CDC analisou também um 3º cenário, com ambas as pessoas equipadas com duas máscaras. Neste caso, a exposição do receptor foi reduzida em 96,4%. O estudo concluiu que, com mais variantes do vírus altamente contagiosas circulando, o uso da máscara deve continuar, e mais que isso, o ajuste é importante para reforçar a proteção.