menu

Coreia do Norte tentou hackear Pfizer para ter acesso a informações da vacina contra a Covid-19

Agência de inteligência sul-coreana teria identificado a tentativa de invasão

UE fez a compra de 300 milhões de doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford
Hackers da Coreia do Norte tentam invadir sistema de farmacêutica ( Dado Ruvic / Reuters)

Hackers da Coreia do Norte tentaram invadir os sistemas da farmacêutica Pfizer para ter acessar informações sobre tratamentos e a vacina contra a Covid-19. A notícia foi confirmada nesta terça-feira (16) por um parlamentar sul-coreano, que disse ter recebido a informação da agência de inteligência da Coreia do Sul.

Especialistas dos países ocidentais afirmam que a Coreia do Norte tem milhares de hackers altamente treinados que já atacaram empresas, instituições e centros de pesquisa, especialmente na Coreia do Sul. Em 2020, eles tentaram invadir os sistemas de pelo menos nove empresas de saúde, como Johnson & Johnson, Novavax Inc e AstraZeneca.

A espionagem diretamente a instituições ligadas a saúde, como cientistas responsáveis pelo desenvolvimento de vacinas e fabricantes de medicamentos aumentou durante a pandemia. Os hackers ligados ao regime de Kim Jong-un buscam acessar todas as informações recentes sobre a Covid-19.

Os especialistas possuem a hipótese de que os criminosos estão mais interessados em vender os dados roubados do que em usá-los para desenvolver uma vacina própria na Coreia do Norte.

Covid-19 na Coreia do Norte

A Coreia do Norte foi o primeiro país do mundo a fechar suas fronteiras no final de janeiro de 2020 na tentativa de se proteger da pandemia. O líder norte-coreano, Kim Jong Un, garantiu que seu país não teve nenhum caso confirmado de Covid-19, mas especialistas acreditam que isto é improvável, visto que a vizinha China é o principal parceiro comercial do país.

Apesar de afirmar que o país está livre do coronavírus, a Coreia do Norte solicitou recentemente vacinas contra a Covid-19. Os norte-coreanos devem receber quase dois milhões de doses, segundo a GAVI Alliance, membro do programa da ONU Covax, que coordena a distribuição de vacinas aos países pobres. Esta é a primeira confirmação oficial de que Kim Jong Un pediu ajuda internacional para lidar com a pandemia.