Economia

Governo quer antecipar 13º dos aposentados e abono salarial

Medidas tem como objetivo injetar R$ 57 bilhões na economia

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 19/02/2021 às 15:09
NOTÍCIA
Marcello Casal Jr./ABr
FOTO: Marcello Casal Jr./ABr
Leitura:

O governo quer antecipar o 13º dos aposentados e pensionistas do INSS e o abono salarial para forma de garantir uma injeção de R$ 57 bilhões na economia brasileira. As duas medidas devem ajudar a segurar os efeitos da pandemia sobre a atividade econômica. 

A antecipação do abono já saiu do papel, com repasses que podem chegar a R$ 7,33 bilhões. O pagamento adiantado do 13º dos beneficiários da Previdência ainda depende de uma definição sobre o calendário. Cada parcela representa uma injeção de cerca de R$ 25 bilhões. A proposta é repetir a antecipação das duas parcelas, semelhante ao que aconteceu no ano passado.

A ação deve garantir algum fôlego à atividade econômica enquanto governo e Congresso definem o novo auxílio emergencial. Nos últimos dias, as negociações caminharam em torno de quatro novas parcelas de R$ 250. A equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, tem cobrado medidas de ajuste para compensar o novo esforço de ajuda à população.

Outras medidas econômicas

O governo também trabalha para baratear e facilitar o acesso de famílias beneficiárias de programas sociais a linhas de microcrédito. Em outra frente, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) abriu uma renegociação de débitos tributários para empresas que postergaram os pagamentos de tributos entre março e dezembro de 2020 e ainda não têm condições de pagá-los.

A restrição fiscal, por sua vez, tem colocado obstáculos à retomada do programa que permite às empresas reduzir salário e jornada de trabalhadores ou suspender contratos, acenada pelo próprio ministro Paulo Guedes.

Mais Lidas