Política

Flordelis falta votação sobre prisão de Silveira e alega "mal súbito"

Caso da deputada também será avaliado pelo Conselho de Ética da Câmara.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 20/02/2021 às 12:07
NOTÍCIA
Reprodução/MJS
FOTO: Reprodução/MJS
Leitura:

A deputada federal Flordelis não participou da votação na Câmara dos Deputados que decidiu nesta sexta-feira (20) manter a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ). Segundo a assessoria da deputada, ela teve um "mal súbito". A parlamentar é acusada, pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo

Flordelis faz "Santa Ceia" para comemorar aniversário
Preso, deputado Daniel Silveira (PSL) diz que STF não vai ganhar "quebra de braço"

"Por força de todo nervosismo com minha situação jurídica e política atual e o estresse que o momento me ocasiona, fui tomada por um mal súbito (ainda sequelas de um AVC), que me obrigou a buscar ajuda médica no dia de hoje. Assim, não me foi possível participar da votação sobre o Deputado Daniel Silveira e pela gravidade do tema, me posiciono sobre o episódio através dessa breve nota", diz o comunicado divulgado pela parlamentar.

Na votação, foram 364 votos a favor, 130 contra e 3 abstenções. Dessa forma, a prisão de Silveira foi matida. Ele foi preso em flagrante na terça-feira (16) após ter publicado um vídeo insultando os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e fazendo apologia ao AI-5.

Caso Flordelis

Segundo a investigação, Flordelis planejou o homicídio do pastor Anderson do Carmo e foi responsável por arregimentar e convencer o executor direto e demais acusados a participarem do crime sob uma simulação de ter ocorrido um latrocínio. 

O motivo do crime seria o fato da vítima manter o rigoroso controle das finanças familiares e administrar os conflitos de forma rígida. Parte dos filhos adotivos do casal também são acusados de envolvimento no crime. Anderson do Carmo foi assassinado em julho de 2019.

Caso Flordelis: "Havia relações sexuais entre todos", confirma delegada

Como tem imunidade parlamentar, a deputada não foi presa, mas é monitorada por tornozeleira eletrônica. Assim como Daniel Silveira, o caso de Flordelis será avaliado pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados.

Mais Lidas