Medicamento

Comitiva brasileira vai buscar spray contra a Covid-19 em Israel, neste fim de semana

Medicamento ainda não possui eficácia comprovada.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 25/02/2021 às 16:14
NOTÍCIA
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou a apoiadores, em frente ao Palácio do Alvorada, que uma comitiva brasileira irá a Israel, neste fim de semana, para trazer o spray nasal contra a Covid-19. Bolsonaro já havia afirmado, no dia 15 de fevereiro, que o governo vai pedir autorização para uso emergencial do medicamento, que ainda não possui eficácia comprovada no combate ao coronavírus.

"Nós devemos ter uma comitiva indo para Israel no sábado ou domingo. A gente vai aqui trazer o spray. Lá deu certo com 30 pessoas em estado grave. E nós vamos aplicar a terceira fase aqui no Brasil, desde que a Anvisa autorize. Deve autorizar. Afinal de contas, é utilizado até em quem está intubado. Pode ser que dê certo. Deu certo com 30 pessoas, com todas as 30”, disse o presidente sem detalhar fará parte da comitiva.

Na semana passada, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, disse que orientou a Embaixada brasileira em Israel para acelerar o início da cooperação com o Centro Ichilov, que fabrica o spray nasal, para que o remédio possa ser utilizado no Brasil. 

Testes com o spray

As trinta pessoas a quem Bolsonaro se refere fizeram parte de um teste com o spray. De acordo com o Centro Médico Ichilov, no teste de Fase 1 em humanos, o spray foi administrado em 30 pacientes, de moderados a graves, destes 29 receberam alta hospitalar entre três e cinco dias após o tratamento. O paciente restante também se recuperou, apesar de ter demorado mais.

Não foi informado se foi administrado placebo em um grupo de controle. Também não foi informado se os pacientes que usaram o spray tiveram algum efeito colateral. O objetivo do medicamento é impedir a chamada tempestade de citocinas, uma reação exacerbada do sistema imune que faz com que o organismo ataque o próprio corpo, e não o vírus.

O medicamento é inalado uma vez ao dia durante alguns minutos, por cinco dias, sendo direcionado diretamente aos pulmões. Assim que o produto for importado, o governo federal deve pedir o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para usar o spray na população brasileira.

Mais Lidas