Consultório

Saiba como denunciar casos de violência doméstica

Especialistas explicaram os procedimentos no Consultório do Rádio Livre

Samara Pontes
Samara Pontes
Publicado em 08/03/2021 às 15:00
NOTÍCIA
JC Imagem
FOTO: JC Imagem
Leitura:

O Dia Internacional da Mulher na Rádio Jornal Garanhuns foi vivenciado com uma pauta de extrema importância: o combate à violência contra a mulher. A radialista Samara Pontes entrevistou a delegada titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), Débora Bandeira e a psicóloga Danielly Tenório, da Secretaria Municipal da Mulher.

O combate a qualquer tipo de violência começa com a informação. É necessário que toda a sociedade, especialmente as vítimas, conheçam os tipos de violência classificadas pela Lei Maria da Penha. São elas: violência física, violência patrimonial, violência sexual, violência moral e violência psicológica. “É muito comum as mulheres só se sentirem violentadas quando elas apanham, quando chega ao extremo da agressão física. Quando ela se olha no espelho e se ver marcada é que há o entendimento de que houve uma violência. Mas existem diversas formas de agressão à mulher, incluindo aí a questão psicológica que costuma causar sérios danos na vida de uma pessoa”, enfatizou a delegada Débora.

De acordo com a psicóloga, as consequências desse tipo de violência podem ser mais graves do que se imagina. “O grande desafio é a pessoa conseguir se enxergar nessa situação. Muitas mulheres não percebem que sofrem uma violência psicológica e atribuem o comportamento do parceiro a um traço de sua personalidade ‘normal’. O que nós já identificamos nas atendidas pela Secretaria são traços de muito medo, síndrome do pânico, estresse pós-traumático, além de outros transtornos já instalados e que precisam de intervenção, como é o caso da depressão”, pontua Tenório.

Dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, divulgados nesse domingo (07), apontam que em 2020, durante a pandemia de Covid-19, mais de 105 mil denúncias de violência contra a mulher foram registradas pelo Ligue 180 e Disque 100. Desse total, 72% são referentes a violência doméstica e familiar contra a mulher. Em Garanhuns, no ano passado, foram contabilizados 612 boletins de ocorrência feitos pela Deam e 290 de outras delegacias. Já com relação as medidas protetivas solicitadas foram 475. Ainda, foram cumpridos 5 mandados e 168 pessoas presas em flagrante. Com relação aos atendimentos da Secretaria da Mulher de Garanhuns, que é um instrumento de acolhimento e direcionamento para as vítimas, foram contabilizadas 2.339 mulheres atendidas, mesmo com os profissionais atuando em home office.

Ainda durante o bate-papo, as profissionais alertaram sobre a importância de denunciar ou procurar ajuda o mais rápido possível, com o intuito de evitar a forma mais grave de violência: o feminicídio. Para mais informações, entrar em contato com a Delegacia da Mulher pelo (87) 3761.8507 ou Secretaria da Mulher no (87) 3762-9115.

Quer saber como denunciar casos de violência doméstica? Confira a entrevista completa

Mais Lidas