Mês da Mulher

Um hobby que pode se tornar fonte de renda, artesã retoma paixão e cria ateliê de crochê

Dayane Lima decidiu ocupar o tempo livre com as linhas e agulhas, e assim o que era uma forma de terapia se tornou seu negócio.

Laís Milena
Laís Milena
Publicado em 10/03/2021 às 17:01
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

Durante a semana do Dia Internacional da Mulher, a TV Jornal Interior está exibindo uma série de reportagens que conta a história de mulheres empreendedoras. A artesã Dayane Lima, é um desses exemplos, ela conheceu o crochê aos 15 anos, mas foi somente após alguns anos que ela retomou as linhas e agulhas como uma terapia para espairecer.

Na época com dois filhos pequenos na escola, um deles com autismo, ela decidiu ocupar o tempo livre. "A princípio foi uma terapia. Eu morava perto do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Centenário, no Divinópolis, e lá tinha o curso de crochê. Eu fui e me apaixonei pela arte. Quando a gente consegue fazer a primeira peça e vê que coisa linda que fica é tão bom", conta.

Dayane começou a divulgar as peças que fazia nas redes sociais e não demorou para receber os primeiros pedidos. "Eu comecei a postar cada pecinha que eu ia fazendo nas redes sociais, fala. Com as demandas aumentando ela decidiu transformar o que era uma terapia, em um negócio. "Já que eu estou em casa vou fazer disso uma renda extra. Então foi aí que eu comecei a vender e aprendi novas técnicas", disse.

Ela foi aprimorando a arte e conhecendo novas possibilidade, até que criou o Day Lima Ateliê. Atualmente ela trabalha com uma variedade de peças feitas por encomenda. "Eu faço de tudo um pouquinho, roupas, biquínis, coisas para mesa posta, amigurumis", explica. 

Mesmo com todas as dificuldades, Dayane declara todo o seu amor pelo crochê. "É tão bom você trabalhar com o que gosta. Não é uma coisa muito rentável, mas eu amo fazer e isso é uma coisa que vou fazer o resto da vida", afirma.

Confira a reportagem completa

Mais Lidas