empreendedorismo feminino

Após ser demitida com 50 anos de idade, 'Anjinha' passou a sustentar a família vendendo quentinhas

Apesar das dificuldades, a pequena empreendedora atualmente vende mais de cem quentinhas por dia em Caruaru, no Agreste.

Eduarda Cabral
Eduarda Cabral
Publicado em 12/03/2021 às 15:57
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

Depois de trabalhar durante muitos anos em uma farmácia, Ângela Maria, ou 'Anjinha', como é conhecida, foi demitida aos 50 anos de idade no final de 2015. Com o marido doente, sem poder trabalhar, e a filha na faculdade, ela viu a dificuldade batendo à porta.

'Quentinhas da Anjinha' foi a solução encontrada por ela para conseguir sustentar a família. Mesmo com as dificuldades encontradas no começo, Ângela não desistiu e contou com a ajuda da filha para fazer o negócio crescer na medida do possível. No começo, eram vendidas menos de dez quentinhas por dia e atualmente são vendidas mais de cem diariamente.

"Só eu e Deus sabemos como foi difícil. Você com 50 anos ser demitida, tentar conseguir alguma coisa e as portas todas fechadas", contou em reportagem ao Cotidiano. Ângela disse que foi em um momento de oração, quando passava em frente à Igreja de Nossa Senhora das Dores, no Marco Zero, que teve a inspiração de começar a vender as quentinhas.

Atualmente, Ângela vende as quentinhas em um ponto localizado ao lado da igreja. Além da melhora crescente nas vendas, ela tem ainda clientes fidelizados, que fazem questão de comprar a comida preparada por ela e não poupam elogios.

Confira a reportagem

Mais Lidas