Economia

Saiba qual grupo pode ser o primeiro a receber auxílio emergencial após atraso do calendário

Pagamentos podem começar em abril

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 17/03/2021 às 8:44
NOTÍCIA
Welligton Lima/JC Imagem
FOTO: Welligton Lima/JC Imagem
Leitura:

O início do pagamento do novo auxílio emergencial 2021 teve as datas alteradas por causa do atraso na edição da medida provisória. Esperava-se pagar o benefício a partir desta quinta-feira (18) para os beneficiários do programa Bolsa Família.

Porém, agora a probabilidade é que os trabalhadores informais passem na frente na fila de recebimento e recebam o benefício no início do mês de abril.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou, nessa última sexta-feira (12), que o governo ainda quer pagar o auxílio em março. "(Mas), possivelmente, o pagamento caia em abril, mas relativo a março."

Auxílio Emergencial: Veja o passo a passo de como atualizar cadastro do Caixa Tem

*Com informações do SBT

Quem receberá parcelas

O auxílio emergencial terá um valor médio de R$ 250 para cada beneficiado, de acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Com a aprovação da PEC Emergencial, as parcelas começarão a ser pagas em março. Segundo o ministro, o valor do auxílio emergencial para mulher chefe de família monoparental deve ser de R$ 375 e, no caso de homem, de R$ 175. “Se for casal, já são R$ 250”, disse.

Serão beneficiados os inscritos no Cadastro Único, beneficiários do Bolsa Família e trabalhadores informais.

Valores

Receberão o auxílio emergencial de R$ 175: inscritos no Bolsa Família, Cadastro Único e trabalhadores informais sozinhos.

Auxílio emergencial: maioria dos beneficiários vai receber R$ 150

Receberão o auxílio de R$ 250: a maior parte dos beneficiários. Inscritos no Bolsa Família, Cadastro Único e trabalhadores informais, que não são sozinhos ou mães chefes de família (família monoparental).

Receberão o auxílio de R$ 375: para mulheres chefes de família (famílias monoparentais) inscritas no Bolsa Família, Cadastro Único e trabalhadoras informais.

Mais Lidas