investigação

CGU investiga supostos casos de vacinação contra Covid-19 em nome de pessoas mortas

Foram identificadas cerca de 50 mil inconsistências.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 26/03/2021 às 20:00
NOTÍCIA
Tânia Rêgo/Agência Brasil
FOTO: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Leitura:

A CGU (Controladoria-Geral da União) investiga cerca de 50 mil inconsistências no Programa Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 no Brasil. Os dados identificados por meio de cruzamentos de dados apontam que 0,5% de 10 milhões de doses foram aplicadas de forma irregular. 

Em alguns casos, há vacinas que foram aplicadas em pessoas que constam como falecidas desde antes do início da vacinação no SIM (Sistema de Informações de Mortalidade), do Ministério da Saúde. Existem também casos de pessoas com três ou mais registros de vacinação.

Com relação à vacinação de idosos, foram identificados casos de pessoas que foram vacinadas como se pertencessem a um grupo prioritário mas tem menos de 60 anos de idade. Também foram identificadas pessoas que se vacinaram como se fossem profissionais da saúde, mas não trabalham na área e nem nas unidades relacionadas ao atendimento à saúde.

Como a investigação é feita

As análises são feitas com base nas informações oficiais do Ministério da Saúde, o SIPNI (Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações). Junto com os dados, são feitos cruzamentos com outras bases oficiais. 

Em um primeiro momento, serão analisados registros de vacinas aplicadas até o dia 10 de março de 2021, que somam 10 milhões de doses. As inconsistências encontradas serão discutidas em conjunto com o Ministério da Saúde para a adoção das providências cabíveis, afim de que, junto aos estados, estes casos parem de ocorrer.

Mais Lidas