menu

Limoeiro alerta população e intensifica ações de combate ao "mosquito da dengue"

Foi traçado um plano pela Vigilância Ambiental para realizar visitas domiciliares.

Limoeiro promove ações de combate ao mosquito da dengue
Limoeiro promove ações de combate ao mosquito da dengue (Divulgação)

Ao mesmo tempo em que a pandemia do novo coronavírus exige esforços diários do mundo para o combate, outras doenças também preocupam e precisam de esforços e cuidados contínuos da população. No município de Limoeiro, Agreste do Estado, a Secretaria de Saúde intensificou as ações da Vigilância Ambiental para combater as endemias, a exemplo de doenças como Dengue, Zica e Chikungunya.

“Por conta da pandemia do novo coronavírus, doenças como a Dengue estão sendo menos falada, porém, não deixaram de existir, e continuam vitimando. É preciso o mesmo esforço conjunto entre poder público e sociedade para que a proliferação não aumente e cause ainda mais transtornos e perdas para nossa população. O trabalho dos agentes também salvam vidas”, comentou o prefeito Orlando Jorge.

Como funciona o plano

No plano de trabalho traçado pela Vigilância Ambiental, os Agentes de Combate às Endemias (ACE), realizam visitas domiciliares no sentido de verificar a existência de possíveis criadouros do Aedes Aegypti. A coordenação do órgão também recebe demandas através de informações de moradores, a exemplo de imóveis fechados, o que gera uma visita de fiscalização e controle.

“Primeiramente, os agentes realizam o trabalho de orientação e prevenção junto ao morador sobre importância de sempre verificar se no imóvel há a existência de possíveis criadouros do Aedes e que possa ser eliminado de forma mecânica. Outra forma de eliminação das larvas desse mosquito é realizando o tratamento focal com uso de larvicidas específicos”, explica Jeanderson, coordenador da Vigilância Ambiental.

Dados mostram que a maior parte dos focos do mosquito está nas residências, sendo assim, o ideal que o morador adote algumas práticas como: manter os pratos de vasos de flores e plantas com areia; guardar garrafas com a boca virada para baixo; limpar sempre as calhas dos canos, não jogar lixo em terrenos baldios; colocar o lixo sempre em sacos fechados; e manter baldes, caixas d´água e piscinas sempre tampados.

“Essas são algumas dicas para a população evitar a reprodução do Aedes Aegypti e possíveis transmissões das arboviroses causadas por esse vetor”, reforça Jeanderson. Paralelamente, são realizadas campanhas educativas nas escolas, comércio, praças e bairros. Mas, por conta da pandemia, no momento não está sendo possível, o que reforça ainda mais a importância do trabalho do ACE no porta a porta.

Em Limoeiro, os agentes também fiscalizam e combatem possíveis focos em locais públicos com água parada. Na “guerra” contra o “mosquito da Dengue”, é fundamental que o povo colabore com medidas simples citadas pela coordenação da Vigilância Ambiental. Ao mesmo tempo, as famílias precisam ser multiplicadoras desses hábitos. Atualmente, o município tem cinco casos notificados de Dengue, segundo o setor Epidemiológico.