menu

Homem trans dá à luz uma menina, em Minas Gerais

Companheira, que também é trans, disse que o nascimento da filha traz uma luz no fim do túnel para o público LGBTQIA+.

Casal Rodrigo Brayan e Ellen Carine  com a filha Isabela.
Casal Rodrigo Brayan e Ellen Carine com a filha Isabela. (Wesley Gonçalves/Ascom/HUCF)

Rodrigo Brayan, de 33 anos, é um homem trans que realizou o sonho de dá à luz uma menina nesta terça-feira (6), em Montes Claros, em Minas Gerais. A companheira Ellen Carine, que também é trans, esteve ao lado o tempo todo e acompanhou cada contração do marido.

"O sentimento que eu tive desde o começo da gestação, independentemente do fato de que gerei a minha filha, foi de pai. Com certeza, agora, depois do nascimento dela, é o mesmo sentimento de pai. Então, isso pra mim foi bem gratificante", afirmou Rodrigo.

O casal chegou ao hospital às 10h30 de segunda-feira (5). Rodrigo entrou em trabalho de parto após oito horas. Isabela nasceu de parto normal, uma semana antes do tempo previsto, na maternidade do Hospital Universitário Clemente de Faria, vinculado à Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).

Após cortar o cordão umbilical, a mãe teve o primeiro contato com a filha. “Assim que o bebê nasce, é colocado pra ter contato com o corpo humano e decidimos que o contato seria comigo, que sou a mãe. Ela foi direto para o Rodrigo até o cordão umbilical ser cortado, depois veio para os meus braços e ficou uma hora comigo. Tudo que estava acontecendo parecia um conto de mágica, a equipe do hospital foi incrível. Só saía lágrimas”, relata.

O casal fez questão de compartilhar com os seguidores do perfil que mantem juntos, Gestação Trans, o momento em que a pequena nasceu. Eles estão juntos há um ano e quatro meses e atuam como influenciadores digitais. Eles devem receber alta ainda nesta quarta-feira (7).

Para Ellen, o nascimento da filha traz uma "luz no fim do túnel" para o público LGBTQIA+ romper o preconceito e constituir família. "A nossa felicidade é imensa, não só pelo nascimento da nossa filha, mas por trazer uma esperança de (luz) no fim do túnel. Com o nascimento dela, muitas pessoas da classe LGBTQIA vão conseguir ver que há sim a chance de construir uma família, independentemente da sociedade que a gente tem", declara.

Papel de pai e mãe

Rodrigo explica que teve uma gravidez tranquila: "A gestação foi um período muito bom. Foi uma coisa que eu curtir bastante. Foi uma gestação bem tranquila, graças a Deus. Agora, ao ver o rostinho dela, eu me sinto completamente como pai. Foi muito bom essa experiencia que eu tive", afirma.

Já Ellen salienta que acompanhou todo o trabalho de parto e que viveu um misto de emoções. Ela diz que o desafio agora é exercer o papel de mãe. "Já estou exercendo o papel de mãe, que é incrível, por mais cansativo que deseja", afirma a influencer.