vacinação

Butantan suspende evase da CoronaVac no Brasil por falta de matéria-prima

O instituto disse que houve um atraso na chegada dos insumos da China.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 08/04/2021 às 7:27
NOTÍCIA
Rovena Rosa/Agência Brasil
FOTO: Rovena Rosa/Agência Brasil
Leitura:

Na última quarta-feira (7), o Instituto Butantan anunciou que suspendeu o envase de doses da CoronaVac por causa de um atraso na chegada de matéria-prima da China para produção do imunizante. No entanto, o órgão garantiu que o atraso não irá prejudicar a distribuição das vacinas contra a Covid-19 para o Ministério da Saúde.

Em entrevista à Globo News, o diretor do instituto, Dimas Covas, afirmou que o processo de envase foi suspenso há dez dias por falta de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo). No entanto, Covas nega que este problema atrase a entrega das novas doses. Ele destacou ainda que o processo de produção da vacina dura, em média, 20 dias.

As doses da CoronaVac são responsáveis por 80% da cobertura vacinal do Brasil. O Butantan tem negociado o envio dos insumos ao país diretamente com os fornecedores chineses. "A matéria-prima está pronta para o embarque na China, houve um problema burocrático. Não há anormalidade. Não há retenção de vacina da China. Não há nenhum ruído de comunicação entre o Brasil e a China, nem entre o Butantan e a Sinovac", afirmou Dimas Covas

Vacinas no Brasil

Dimas Covas afirmou que aproximadamente 2,5 milhões de doses estão em sade de liberação para os próximos dias. A previsão é de que o Butantan entregue cerca de 7,5 milhões de doses em abril, o que ultrapassa em 5 milhões a quantidade que está em processo de liberação. 

Mais Lidas