menu

Cientista política critica volta às aulas presenciais em entrevista à Rádio Jornal e diz que é “como jogar professores e alunos em um matadouro”

Confira entrevista com Ana Maria Barros no programa Além da Notícia

Cientista política critica volta às aulas presenciais em entrevista na Rádio Jornal e diz que é “como jogar professores e alunos em um matadouro”
Cientista política critica volta às aulas presenciais em entrevista na Rádio Jornal e diz que é “como jogar professores e alunos em um matadouro” (Reprodução/Rádio Jornal Caruaru)

Pernambuco iniciou nesta semana a retomada gradual das aulas presenciais em meio a pandemia da Covid-19. Na segunda-feira (5) voltaram os alunos da educação infantil e dos primeiros anos do ensino fundamental da rede particular.

Segundo o calendário, na próxima segunda-feira (12) está previsto o retorno dos estudantes dos anos finais do ensino fundamental e do ensino particular. O assunto vem gerando muita polêmica e discordâncias entre pais de alunos e também professores.

A cientista política, pesquisadora e professora universitária, Ana Maria Barros, fez fortes criticas ao Governo do Estado nessa liberação do retorno das aulas presenciais, durante entrevista ao programa Além da Notícia, da Rádio Jornal Caruaru, nesta quinta-feira (8). A professora disse ser totalmente contra. “Eu acho que é uma irresponsabilidade jogar professores, famílias e alunos ao matadouro, podendo essas pessoas se contaminarem, levar contaminação pra casa e morrerem. São pais de famílias, são profissionais que precisam em primeiro lugar, estar vivos pra poder garantir o direito a educação”, declarou Ana Maria Barros.

A pesquisadora também pediu para que os sindicatos e o Ministério Público de Pernambuco uma atenção para evitar que essas aulas retornem e que a contaminação fuja do controle dentro das escolas. “Testagem não é vacina. Cabe aqui aos sindicatos, cabe aqui ao MPPE agir sobre prefeituras, sobre o governo do estado para que possam garantir as mínimas condições que dignidade humana pra que essas aulas possam retorna. Eu pessoalmente sou contra qualquer retorno a sala de aula desde que os educadores não estejam vacinados, com a segunda dose e dado o tempo necessário para que essas vacinas façam efeito”, disse.

A cientista política também falou sobre o ensino remoto de baixa qualidade no Brasil, por diversos fatores, por culpa de falta de uma política voltada para a área tecnológica no país.

Veja a entrevista completa: