Investigação

Laudo conclusivo da morte de Patrícia Roberta só deve ser liberado em 10 dias

Polícia trabalha com a hipótese de que a jovem teria sido morta por asfixia mecânica.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 29/04/2021 às 18:34
NOTÍCIA
Reprodução/Divulgação
FOTO: Reprodução/Divulgação
Leitura:

De acordo com o Instituto Médico Legal (IML) da Paraíba, o laudo conclusivo da morte de Patrícia Roberta, assassinada após visitar uma amigo na capital paraibana, só deve sair em um prazo de 10 dias. A perita Amanda Melo, responsável pelo caso da jovem informou na última terça-feira (27) que a polícia não trabalha com a possibilidade da jovem ter sido morta antes de ser levada para a mata.

Ainda segundo ela, o corpo foi encontrado em estado avançado de decomposição o que prejudica a visualização de lesões externas, como agressão e hematomas, no entanto não foram encontradas lesões feitas por projétil ou arma branca. A polícia está trabalhando com a hipótese de que Patrícia teria sido morta por asfixia mecânica, através de sufocação direta ou estrangulamento.

O principal suspeito de ter cometido o crime, é o amigo no qual Patrícia teria ido visitar em João Pessoa. O jovem de 23 anos, foi preso na última quinta-feira (28). O suspeito foi encontrado pela polícia na casa de um amigo, no bairro de Mangabeira II, na capital paraibana. Na mesma noite os policiais encontraram também uma moto, que teria sido usada para transportar o corpo de Patrícia para o terreno onde foi encontrado cerca de 12 horas depois do registro de um vídeo feito por câmeras de segurança de uma rua.

O suposto criminoso teve a prisão preventiva decretada e está cumprindo uma quarentena de 14 dias para depois ser encaminhado para o Presídio do Roger. O caso segue em segredo de justiça. 

Sepultamento de Patrícia 

Nesta quinta-feira (29), o corpo de Patrícia Roberta foi sepultado em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O corpo chegou na cidade por volta das 16h horas e foi levado para casa da avó da vítima para que parentes e amigos pudessem se despedir da vítima. Em seguida um cortejo levou o corpo até o cemitério Dom Bosco, onde foi sepultado. 

Em meio às lágrimas, Vera Lúcia, a mãe de Patrícia falou a equipe da TV Jornal Interior. “Saber que a gente não vai ver ela mais, a pessoa não espera”, disse ela sobre o sentimento de enterrar a filha. Ela ainda relembrou, em meio a forte emoção, sobre a última vez que falou com a jovem, “eu só via ela com a carinha tristinha”, disse ela.

> A justiça de Deus foi feita, a dos homens aqui também” diz pai de Patrícia Roberta sobre o caso

> “Na esperança de encontrar ela viva encontramos um corpo” diz tia de Patrícia Roberta sobre a dor de perder a sobrinha

Entenda o caso: 

De acordo com os familiares, Patrícia Roberta teria ido visitar um suposto amigo em João Pessoa, na Paraíba, na última sexta-feira (23). Patrícia voltaria para Caruaru na segunda-feira (26) e mantinha contato com os familiares durante a estadia na capital paraibana. No entanto, no último domingo (25) a jovem desapareceu.

Em entrevista ao NE10 Interior, a prima de Patrícia disse que na última semana a jovem havia falado com ela pedindo ajuda para comprar uma passagem de ônibus e informou à família que iria viajar para João Pessoa para encontrar um amigo, que teria estudado com ela no colégio em Caruaru, quando era mais nova.

A jovem pernambucana saiu em direção a João Pessoa por volta das 17h da última sexta-feira (23). Ao chegar na cidade, a jovem avisou à família que havia chegado e mandou fotos. No sábado (24), ela enviou uma foto em que aparecia o prédio onde supostamente ela estava hospedada. No domingo (25), Patrícia parou de responder às mensagens dos familiares.

Depois que os familiares perderam o contato com Patrícia no último domingo (25), a jovem foi dada como desaparecida pela família. A policia realizou buscas e encontrou o corpo dela em um terreno da capital paraibana em avançado estado de putrefação.

Mais Lidas