Entrevista

Desafios do envelhecimento ativo durante a pandemia

Confira a entrevista da Rádio Jornal Garanhuns com a fisioterapeuta e mestranda em gerontologia Vanessa Mazer

Samara Pontes
Samara Pontes
Publicado em 30/04/2021 às 15:13
NOTÍCIA
Foto: Pixabay
FOTO: Foto: Pixabay
Leitura:

A fisioterapeuta, mestranda em gerontologia Vanessa Mazer, participou do programa Consultório da Rádio Jornal Garanhuns, nessa terça-feira (27). A profissional falou sobre os desafios do envelhecimento ativo especialmente durante a pandemia.

De acordo com a profissional, o termo envelhecimento ativo é relativamente recente. “A Organização Mundial da Saúde, na década de 90, criou o termo pra falar um pouco sobre o que é necessário fazer para que o idoso tenha um envelhecimento com qualidade”, aponta. “Ser ativo não significa só fazer atividade física, essa atitude faz parte de um processo que visa outras áreas. Saúde em primeiro lugar, mas também processos de aprendizagem, participação ativa e segurança”.

Para que possamos envelhecer bem, são necessárias atitudes precoces. A prevenção será sempre o melhor caminho. “A medida em que a gente vai envelhecendo nossa capacidade cognitiva diminui, mas se sempre estimulamos novos aprendizados, atividades diferentes do que costumávamos fazer, entre outros estímulos, nossa reserva cognitiva aumenta. Quanto mais cedo começamos, melhor”, destaca Mazer.

A fisioterapeuta trouxe ao longo da conversa dicas para melhorar o dia a dia da terceira idade. O cuidado com a saúde mental também foi um ponto importante, principalmente de cenários tão complexos como a pandemia. Para começar a ter um envelhecimento ativo ou prevenir essa condição, é importante buscar a ajuda de profissionais especializados na saúde do idoso.

Veja a entrevista:

Mais Lidas