menu

Em ato de repúdio à violência contra a mulher, manifestantes pedem justiça por Patrícia Roberta

O protesto reuniu mulheres em repúdio ao suspeito de matar a jovem de Caruaru.

Protesto chamando a atenção para violência e morte de Patrícia Roberta
Protesto chamando a atenção para violência e morte de Patrícia Roberta (Reprodução/TV Tambaú/Arquivo pessoal)

Na manhã desta sexta-feira (30), manifestantes se reuniram no Parque Sólon de Lucena, também conhecido como Parque da Lagoa, em João Pessoa, na Paraíba, para protestar contra a violência à mulher. Diversas mulheres que estiveram no local pediam justiça pela morte da pernambucana Patrícia Roberta.

"Com o descobrimento do assassinato de Patrícia, muitas mulheres se manifestaram em forma de repúdio ao suspeito. Muitas pessoas aqui em João Pessoa o conheciam", conta Vitória Horara, coordenadora estadual do Movimento Olga Benário.

A manifestante relatou ainda que algumas mulheres já receberam mensagens do suspeito e isso também motivou o ato. "Mensagens de assédio e de vários teores. Mulheres entraram em contato conosco contando e através delas nós também organizamos este ato", disse.

Sepultamento

Nesta quinta-feira (29), o corpo de Patrícia Roberta foi sepultado em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O corpo chegou na cidade por volta das 16h horas e foi levado para casa da avó da vítima para que parentes e amigos pudessem se despedir da vítima. Em seguida um cortejo levou o corpo até o cemitério Dom Bosco, onde foi sepultado. 

Em meio às lágrimas, Vera Lúcia, a mãe de Patrícia falou a equipe da TV Jornal Interior. “Saber que a gente não vai ver ela mais, a pessoa não espera”, disse ela sobre o sentimento de enterrar a filha. Ela ainda relembrou, em meio a forte emoção, sobre a última vez que falou com a jovem, “eu só via ela com a carinha tristinha”, disse ela.