menu

MPPE apresenta denúncia contra suspeita de participar da morte do delegado em Jataúba

Elisangêla está sendo indiciada por homicídio qualificado contra Anderson Liberato e tentativa de assassinato contra os outros policiais.

Rolemberg Feitosa
Rolemberg Feitosa (Reprodução/TV Jornal Interior)

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) apresentou uma denúncia contra Elisângela Almeida Alves Santana, de 43 anos, suspeita de participar da morte do delegado Anderson Liberato, em Jataúba.

Confira a entrevista na íntegra:

(a partir do minuto 17:35)

De acordo com o MPPE, Elisângêla está sendo indiciada por homicídio qualificado contra Anderson Liberato e tentativa de assassinato contra os outros policiais. Em uma entrevista dada ao programa 'TV Jornal Notícias', da TV Jornal Interior, o promotor de Justiça, Rolemberg Feitosa, disse que a Polícia Civil já concluiu o inquérito e que a suspeita responderá pelos crimes.

"O Ministério Público apresentou hoje a denúncia. A Polícia Civil concluiu o inquérito, trouxe um robusto relatório, dando conta que ela participou sim. A justiça já recebeu a denúncia, então ela já é réu. Nos próximos 90 dias estaremos dando conclusão nesse procedimento", afirmou.

Segundo informações do promotor, ela deverá apresentar a defesa a partir de segunda-feira (03), com o prazo final em 10 dias.

Morte do suspeito

José Carlos, companheiro de Elisângela, foi o autor dos tiros que provocaram a morte do delegado Anderson, que morreu no início da noite do sábado, 17 de abril. José Carlos teria ficado ferido após os agentes reagirem aos disparos e precisou receber atendimento médico.

> Suspeito de matar delegado em Jataúba é morto a tiros em ambulância durante transferência para hospital

José Carlos estava sendo transferido para o Hospital Regional do Agreste, em Caruaru. Perto do posto da Polícia Rodoviária Federal, na BR-104, em Caruaru, suspeitos, em um carro, interceptaram a ambulância, pediram para os profissionais de saúde saírem e executaram o homem.

Entenda o caso:

Anderson Liberato morreu na tarde do dia 17 de abril, enquanto cumpria mandado de prisão na cidade de Jataúba. O delegado foi atingido por disparos de arma de fogo pelo homem que morava na residência.

De acordo com o secretário de Saúde de Jataúba, Adalmir Holanda, os disparos atingiram Anderson no braço, na coxa e na clavícula. A bala que atingiu a clavícula ultrapassou o tórax, perfurou o pulmão e pode ter provocado complicações no coração.

O delegado chegou a ser atendido no hospital municipal de Jataúba, mas o estado de saúde era grave. Foi solicitado um helicóptero da Secretaria de Defesa Social para realizar a transferência do delegado mas, ainda durante o atendimento no hospital, ele não resistiu aos aos ferimentos e morreu.