Covid-19

Bolsonaro diz que fará decreto para impedir estados e municípios de restringir serviços

Discurso foi uma resposta aos protestos de apoio ao presidente, que aconteceram no dia 1º de maio.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 05/05/2021 às 17:47
NOTÍCIA
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

Durante um discurso em cerimônia do Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (5), o presidente Jair Bolsonaro prometeu publicar um decreto impedindo estados e municípios de restringirem serviços, por conta da pandemia. "Nas ruas, já se começa a pedir, por parte do governo, que se baixe um decreto. Se eu baixar um decreto, ele vai ser cumprindo. Não será contestado por nenhum tribunal", afirmou o presidente. 

O discurso foi uma resposta aos protestos de apoio ao presidente, que aconteceram no dia 1º de maio. O decreto que Bolsonaro pretende publicar, seria um instrumento para garantir que o Artigo 5º da Constituição seja respeitado por estados e municípios, e que seja assegurada a liberdade de ir e vir, trabalhar e realizar atividades econômicas no contexto da pandemia, explicou Bolsonaro. 

O presidente ainda afirmou o povo quer o direito de ir e vir e que "ninguém pode contestar isso". 

"O que o quer de nós é que sigamos o norte dado para esse povo, e todo o Artigo 5º. Eles querem trabalhar. Isso é crime? Querem o direito de ir e vir, ir à praia, ver um amigo. Querem o direito de ver um pastor, ir à igreja, veu seu padre. Que poder é esse dado a governadores e prefeitos?", questionou. 

Comissão Parlamentar de Inquerito (CPI) COVID-19

Durante o discurso o presidente também falou sobre a CPI Covid-19, instalada para investigar ações do governo Bolsonaro no enfrentamento da Covid-19 no Brasil. O presidente disse que o resultado será "excepcionalmente, no final da linha". Bolsonaro afirmou que a CPI demonstrará o uso incorreto da verbas milionárias distribuídas pelo governo federal a estados e municípios. 

A CPI Covid-19 contará com 11 membros efetivos e sete suplentes. A petição foi lida no dia 13 de abril após determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). A comissão foi proposta pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e instalada pelo ministro Luís Roberto Barroso do STF. A CPI pretende investigar . A atuação da proposta será limitada à investigação de recursos federais enviados a estados e municípios.

***Com informações do Blog do Jamildo 

Mais Lidas