Covid-19

Governo de Pernambuco vai debater com prefeitos sobre adoção de medidas mais restritivas no Agreste

A Secretaria Estadual de Saúde afirma que houve aumento das solicitações por vagas de UTI na região.

Eduarda Cabral
Eduarda Cabral
Publicado em 14/05/2021 às 7:50
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

Em coletiva de imprensa realizada nessa quinta-feira (13), o estadual de Saúde, André Longo, anunciou que, nesta sexta-feira (14), o Governo de Pernambuco vai reunir prefeitos de cidades do Agreste do Estado para debater sobre a adoção de medidas restritivas mais rígidas na região.

A necessidade da reunião se dá em virtude do aumento das solicitações por vagas de UTI na rede pública de saúde na última semana na II Macrorregião de Saúde, que engloba a IV e V Geres, com sedes em Caruaru e Garanhuns. Por isso, acredita-se que novas medidas para conter a disseminação da Covid-19 devem ser adotadas.

De acordo com as informações divulgadas pelo secretário, foi registrado um aumento de 9,3% em uma semana e de 44,5% em 15 dias, enquanto o crescimento na média do Estado foi de 6,1% e de 13,8%, nos mesmos períodos. “A rede de saúde da IV e da V Geres já está pressionada e, diante de um comportamento destoante por duas semanas seguidas, estamos analisando a necessidade de ações específicas na região”, destacou André Longo.

Preocupação do Governo do Estado

Na coletiva de imprensa realizada na semana passada, no dia 6 de maio, o secretário André Longo crescimento do registro de casos de Covid-19 na região. Com os leitos à beira do limite da ocupação máxima em cidades como Caruaru, Longo destacou que o Agreste está sob constante supervisão da gestão estadual.

"Na última semana houve um comportamento de maior pressão sobre o sistema [de saúde] lá no Agreste. Como foi só uma semana, nós vamos observar agora o desenrolar desta semana que está em curso. É possível, inclusive, que se possa adotar medidas mais severas para o Agreste se não houver uma mudança de comportamento lá dos números na avaliação que a gente vai fazer no próximo domingo", afirmou Longo.

Mais Lidas