menu

"Não há economia sem vidas", diz secretário de Saúde, André Longo, sobre novas medidas restritivas em PE

O Estado investiga a possibilidade de uma nova variante estar em circulação no Agreste.

Secretário estadual de Saúde, André Longo, durante entrevista coletiva online
Secretário estadual de Saúde, André Longo (Divulgação/ SES)

Na última segunda-feira (24), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), divulgou, em pronunciamento, a ampliação de medidas restritivas de combate à Covid-19 em 65 municípios do Estado. A medida suspende o funcionamento de atividades econômicas e sociais consideradas não essenciais em qualquer dia e horário entre os dias 26 de maio e 6 de junho. Em entrevista à Rádio Jornal, o secretário estadual de Saúde, André Longo, comentou sobre estas novas medidas.

Comércio vai fechar? Igrejas podem abrir? Entenda os detalhes do novo decreto do Governo de Pernambuco

O secretário destacou que a adoção das medidas mais rígidas, previstas em decreto publicado nesta terça-feira (25), são inevitáveis, tendo em vista o cenário epidemiológico do Estado atualmente. "São medidas, nesse momento, inevitáveis e muito importantes para que a gente possa conter a maior circulação viral que nós temos detectado. Pernambuco passa por um momento de reaceleração, após a aceleração de fevereiro e março, que conseguimos conter.

Saiba como fica o funcionamento dos shoppings com quarentena mais rígida em Pernambuco

Longo comentou sobre a adoção de medidas mais rígidas especificamente no Agreste de Pernambuco, que registra altas taxas de ocupação de leitos de UTI. "É uma nova aceleração, especialmente no Agreste. Os números na região são realmente impressionantes do ponto de vista do crescimento de demandas lá [...]. Há uma forte pressão no sistema de saúde", disse. O secretário reforçou que também é observado um aumento de casos e de solicitações de leitos em outras regiões que não adotarão as medidas restritivas agora, mas que o cenário é monitorado pelas autoridades de saúde do Estado. 

Nova variante

Durante a entrevista, o secretário informou que o governo avalia a possibilidade de uma nova variante do vírus estar circulando no Estado, com presença ainda maior na região do Agreste, onde tem sido apresentado o maior aumento de casos. "Há a possibilidade de ter uma nova variante circulando na região do Agreste", disse André Longo.

Confira quais são os municípios que terão restrições ainda mais rígidas até 6 de junho em Pernambuco

"Nós pedimos o apoio ao Ministério da Saúde para que a gente pudesse fazer uma vigilância genômica mais rápida com amostras do mês de maio de pessoas com diagnóstico positivo da região pra ver se a gente detecta alguma nova variante circulando. Tamanha é a velocidade com que as coisas estão se dando no Agreste. Então isso acende essa preocupação para a possibilidade de termos uma nova variante circulando na região", afirmou o secretário. 

Preocupação com a economia

Em virtude do novo decreto, empresários, comerciantes e representantes de diversos outros segmentos da economia têm se preocupado com a vitalidade de seus negócios diante de um novo fechamento temporário. Em resposta, o secretário André Longo afirmou que "não há economia sem vidas".

"A gente precisa primeiro pensar em salvar vidas. A economia depende de as pessoas terem condições de estarem circulando. Então a gente precisa dar essas condições para a região recompor-se do ponto de vista econômico. A gente tem essa preocupação. Mas é preciso, nesse momento, priorizar e salvar vidas", destacou André Longo.

Confira a entrevista completa: