Investigação

Mulher é presa suspeita de aplicar golpes em salões de beleza com Pix

Suspeita pediu para colocar aplique, mas não pagou pelos serviços.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 27/05/2021 às 15:33
NOTÍCIA
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
FOTO: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Leitura:

Uma mulher foi presa suspeita de estelionato, em Maringá, a cerca de 420 km de Curitiba (PR). De acordo com uma reportagem exibida pela TV Record, a mulher é suspeita de aplicar golpes em dois salões de beleza, ao dizer que realizaria o pagamento via Pix. 

Segundo o depoimento da dona de um dos salões de beleza, a mulher pediu para colocar aplique no cabelo, um trabalho que consiste em dar volume nos fios, em seguida ela comprou cremes de cabelo antes de se dirigir ao caixa, onde teria que pagar mais de R$ 1.500. Na hora do pagamento, a suspeita optou pela transação via Pix. 

"Ela me mostrou no celular dela [a mensagem] 'concluído com sucesso'. Me mandou o comprovante, meu celular estava na bancada e eu vi que chegou a mensagem dela, e tudo belezinha. Mas eu não conferi na hora, esse foi o meu erro", conta a empresária.

Ao perceber que o valor não constava na sua conta bancária. a dona do salão resolveu ir atrás da suspeita e pediu para ela tirar o aplique, mas ela não quis, e as duas começaram a brigar. 

Outros golpes

Após a briga, a mulher ficou com uma falha na cabeça e foi a outro salão de beleza na região, onde é acusada de aplicar o mesmo golpe. A dona do segundo salão disse que a mulher contou uma história triste para ser atendida com urgência. Ao final do procedimento, mais uma vez, a suspeita fez o pagamento via Pix.

"[O dinheiro] não caiu na minha conta, ainda falei para ela que geralmente o Pix quando a pessoa passa cai o dinheiro na hora", disse. Ainda assim, a mulher conseguiu ir embora sem realizar o pagamento. A suspeita foi presa em Sarandi, e pode responder pelo crime de estelionato.

A primeira cabeleireira ainda conseguiu recuperar o produto, mas a segunda terá que arcar com o prejuízo. "O dia em que ela foi presa, nós conversamos com o delegado, mas ele disse que eu não posso tirar o cabelo sem a autorização dela, e ela não nos autorizou a tirar. Tá presa com o meu cabelo", desabafou a dona do segundo salão de beleza. 

Mais Lidas