Protestos

Manifestação a favor da vacina e contra o governo de Jair Bolsonaro é realizada em Petrolina

25 capitais e 85 cidades brasileiras confirmaram a realização de atos contra o presidente Jair Bolsonaro.

Thiago Santos
Thiago Santos
Publicado em 29/05/2021 às 12:53
NOTÍCIA
Reprodução/Thiago Santos
FOTO: Reprodução/Thiago Santos
Leitura:

A Praça Maria Auxiliadora, no Centro de Petrolina, está sendo palco do ato “Fora Bolsonaro, pela vida, pelo Brasil e o povo nas ruas”, que acontece em diversas cidades do país na manhã deste sábado (29). A manifestação, organizada por sindicatos, movimentos sociais, organizações estudantis e lideranças partidárias, se posiciona à favor da vacinação em massa, à vida e ao emprego, e contra a política do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) na condução da pandemia da covid-19.

“Estamos defendendo a vida do povo brasileiro. Vemos o que o governo federal, desde o começo, não tem tomado nenhuma medida efetiva contra a pandemia e ainda menosprezou a disseminação do vírus. A situação do país está cada vez pior, com preços altos de alimentos, gás e da gasolina, e com o desemprego se mantendo. Também estamos defendemos a vacinação da população. O vírus não é o único culpado [pelo cenário atual], mas também o governo federal”, disse Bruno Melo, membro da Unidade Popular (UP).

O protesto acontece de forma presencial e vai circular por algumas ruas do Centro da cidade. Segundo os organizadores, há orientações para que os presentes respeitem as medidas sanitárias de proteção à covid-19. Ao menos 25 capitais e 85 cidades brasileiras confirmaram a realização de protestos contra o presidente Jair Bolsonaro.

“Estamos organizando três filas, respeitando a distância de 1,5m das pessoas. Temos seis faixas para facilitar a distribuição [dos manifestantes], e durante todo o ato terá distribuição de álcool em gel por nossa equipe de segurança, também estamos distribuindo máscaras PFF2 para pessoas e a equipe de segurança mai estar vigilante para que as pessoas não se aglomerem, retirem ou abaixem a máscara”, explicou Fernanda Vilas Boas, membro da União da Juventude Comunista (UJC).

O ato tem a participação ainda de membros do Diretório Central dos Estudantes da Univasf, União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco (UESPE), Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação (SINTEP), Seção sindical dos docentes da UNIVASF (SINDUNIVASF), Sindicato dos Trabalhadores Assalariados Rurais (STAR), Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia Elétrica (Sinergia), Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Sintraf), Associação Raízes, Coletivo Cores, Rua Juventude Anticapitalista, União da Juventude Socialista (UJS) e dos movimentos Olga Benário e Luta de Classes (MLC).

Mais Lidas