Pandemia

Ministro da Saúde cumpre agenda em Santa Cruz do Capibaribe e Toritama

Objetivo foi visitar o hospital de campanha dos municípios e entender as ações de enfrentamento a pandemia.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 30/05/2021 às 15:31
NOTÍCIA
Reprodução/Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe
FOTO: Reprodução/Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe
Leitura:

Cumprindo a agenda nos municípios do Agreste de Pernambuco, os ministros da saúde e do turismo visitaram mais duas cidades na manhã deste domingo (30). Após uma reunião com a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, Marcelo Queiroga e Gilson Machado, visitaram as cidade de Toritama e Santa Cruz do Capibaribe. 

Em Toritama, os ministros foram recebidos pelo vice-prefeito, Romero Filho, pelo Secretário Municipal da Saúde, Júnior Mariano, pelo Presidente da Câmara de Vereadores, José Ferreira e pelos Vereadores, Mava e Derivaldo. Na ocasião os ministros visitaram o Hospital de Campanha de Toritama e falaram sobre o abastecimento de oxigênio, a disponibilidade de mais testes de detecção do Covid-19 e e a possibilidade de envio de mais vacinas para o município. 

Em seguida, a comitiva se direcionou para a cidade de Santa Cruz do Capibaribe, onde foram recepcionados pelo prefeito Fábio Aragão, o vice-prefeito Helinho Aragão, o deputado Diogo Moraes, a secretária de Saúde Lívia Borba e alguns vereadores. O objetivo também foi de visitar o hospital de campanha de Santa Cruz, entender as ações que o município vem tomando para o enfrentamento a pandemia do novo coronavírus e fazer a entrega oficial dos concentradores de oxigênio que chegaram na última sexta-feira (30). 

Além da visita ao hospital Marcelo Queiroga e Gilson Machado passaram pelo Moda Center de Santa Cruz. Os ministro também irão passar pelas cidades de Garanhuns e Lajedo ainda neste domingo (30). 

Mais vacinas para o Agreste

Na última semana, o Governo de Pernambuco anunciou que o Agreste está em alerta máximo pelo aumento de casos e da procura por leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Durante uma visita a Caruaru na manhã deste domingo (30), a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, se reuniu com os ministros e reforçou que está sendo feito um estudo para observar se existe uma nova variante no Agreste, que justifique o aumento de casos na região.

> Raquel Lyra realiza reunião com ministro da saúde, Marcelo Queiroga, para solicitar mais vacinas para o Agreste

"Iniciamos um estudo para poder entender se existe algum tipo de variante no Agreste que justifique esse crescimento, superlotando as unidades de saúde. Dessa forma, poderemos fundamentar a solicitação ao ministério por mais vacinas, com base nesse estudo", explicou Raquel. 

Questionado se o envio de mais doses para o Agreste pernambucano poderia evitar o quadro atual da região com relação à contaminação pelo coronavírus, o ministro declarou que a escassez de imunizantes seria um problema mundial, não apenas brasileiro. "Carência de vacinas é mundial, não é só em Pernambuco. Mas o Brasil já está entre os países que mais distribuem vacinas. Só com a Pfizer, nós temos um contrato para o fornecimento de 200 milhões de doses, o que torna o Brasil o segundo país a distribuir mais doses desta vacina", declarou o ministro. 

 Distribuição de Oxigênio em Caruaru 

Na última semana, mais de 33 municípios do Agreste estão em situação de risco de desabastecimento de oxigênio. No entanto, durante a a visita técnica aos hospitais da região, o secretário de saúde do Estado, André Longo e o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, reforçaram que não há falta de oxigênio. 

> Mais de 33 municípios do Agreste estão em situação de risco de desabastecimento de oxigênio

"É preciso que fique bem claro para a população, nós não temos um problema de fornecimento de oxigênio. Visitamos a fábrica White Martins, que tem capacidade abastecer todo o estado. O que acontece é que em municípios menores, não existem os tanques criogênicos que armazenam o oxigênio em grandes quantidades", disse André Longo durante a visita técnica em Gravatá. 

De acordo com o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, o oxigênio é distribuído na forma líquida. Nesse caso, os hospitais que são mais equipados dispõe de tanques que guardam esse oxigênio. Mas existem outros em que oxigênio só é possível de ser ofertado com o cilindros. 

> Município do interior de PE enfrenta crise com falta de oxigênio e transfere pacientes para outras cidades

"O oxigênio pode ser distribuído na forma líquida em tanques criogênicos, esse é o caso de Caruaru, que possui esses tanques capazes de armazenar grandes quantidades de oxigênio. Nos demais municípios, o abastecimento é feito por cilindros e a uma carência de cilindros. Mas estamos apoiando as secretarias municipais e estadual para que não haja falta desse insumo", afirmou o ministro. 

Marcelo Queiroga também reforçou que será distribuído mais concentradores no Agreste. No nordeste, há previsão para distribuição de 1700 concentradores que ajudaram no enfrentamento a pandemia. 

Mais Lidas